Xiaomi lança no Brasil smartphones com bateria capaz de durar até dois dias

Redmi Note 10 Pro foi lançado nesta quarta-feira (5), enquanto o Redmi Note 10S chegará ao país em breve, segundo a companhia

Redmi Note 10 Pro é um celular intermediário "premium"
Redmi Note 10 Pro é um celular intermediário "premium" Foto: Xiaomi/Reprodução

Tamires Vitorio, do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

A fabricante chinesa de smartphones Xiaomi lançou dois novos dispositivos no Brasil nesta quarta-feira (5). O primeiro deles é o Redmi Note 10 Pro, um modelo intermediário “premium”, com câmera de 108 megapixels que já está à venda. O segundo é o Redmi Note 10S, ainda sem data prevista para a venda por aqui.

O Redmi Note 10 Pro com 64 GB custa R$ 3.299,99, enquanto o com 128 GB sai por R$ 3.399,99.

Ambas as versões têm uma bateria que “oferece energia suficiente para durar por até dois dias”, segundo a Xiaomi, e vêm com um carregador de 33W — indo contra a tendência da Apple e da Samsung que retiraram a fonte das caixas de seus smartphones por “motivos ambientais”. 

O smartphone intermediário (Redmi Note 10 Pro) tem o processador Qualcomm Snapdragon 732 G, o que garante ao aparelho “jogos mais realistas, desempenho aprimorado, câmera com mais nitidez, recurso de inteligência artificial melhorado e alta capacidade de conectividade”, além de ter a famosa tela AMOLED — que apresenta uma qualidade melhor que a OLED, deixando a imagem mais nítida — de 6,67″. O aparelho está disponível nas cores cinza ônix, bronze e azul. 

“Como estratégia de negócios, reparamos que essa linha intermediária premium está sendo mais procurada pelos brasileiros. Eu abro o leque [trazendo produtos mais caros], mas o Brasil está indo mais para esse modelo”, diz Luciano Barbosa, head do projeto da Xiaomi Brasil.

Para Barbosa, um dos motivos é que os brasileiros estão “tendendo a reduzir” gastos com viagens, restaurantes e entretenimento por causa da pandemia da Covid-19 e investindo em outras coisas. “Com isso, percebemos que o consumidor está comprando mais aparelhos eletrônicos e reformando as suas casas, por exemplo”, afirma.  

Já o Redmi 10S, uma versão inferior ao Redmi Note 10 Pro, tem uma tela AMOLED de 6,43″. O dispositivo, que ainda não foi lançado, custará R$ 2.799,99 (64 GB) e R$ 2.999,99 (128 GB). Para saber quando o Redmi 10S estará disponível, a Xiaomi dá uma dica: acompanhe as redes sociais e o site oficial da empresa.

Mais Recentes da CNN