Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ações da Petrobras operam no vermelho, após queda de mais de 40% no lucro

    Resultado já era esperado pelo mercado, porém, amenizou variação dos ativos

    Tanques de combustíveis da Petrobras
    Tanques de combustíveis da Petrobras 1/07/2017REUTERS/Paulo Whitaker

    Débora Oliveirada CNN

    As ações da Petrobras abriram o pregão desta sexta-feira no campo negativo, após a petroleira divulgar na véspera uma queda maior que 40% no lucro do terceiro trimestre.

    O resultado já era esperado pelo mercado, porém, amenizou a variação dos ativos. Por volta das 11h30, os papéis preferenciais registravam queda de 0,17%.

    A Petrobras registrou lucro líquido de R$ 26,63 bilhões no terceiro trimestre, o equivalente a uma queda de 42,2% na comparação com o mesmo período do ano passado.

    Em comunicado, a companhia diz que a queda dos preços do petróleo e das margens dos derivados “afetaram não só a Petrobras, mas a indústria de óleo, gás e derivados como um todo”.

    O petróleo Brent, que serve como referência internacional para a estatal brasileira, caiu 14% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a Petrobras.

    Para o analista de ações da Warren, Frederico Nobre, que acompanha de perto o desempenho do setor, “o resultado um pouco abaixo do que o mercado estava esperando parece ser fruto de efeitos não recorrentes, porque a Petrobras teve um gasto exploratório maior nesse trimestre em óleo e gás, devido um ramp up da produção, ou seja, o início de operações de novas plataformas e isso acabou gerando R$ 2 bilhões a mais de gastos exploratórios que não estavam na conta.”

    Outro fator que impactou foi a variação cambial, já que o dólar nesse período estava mais baixo do que no trimestre anterior. Sobre o câmbio, Frederico explica que isso também gera um efeito negativo no lucro líquido.

    O especialista lembra ainda que no trimestre passado houve alienação de ativos e, como não ocorreu nenhuma venda de ativos nesses últimos três meses, isso gerou mais um impacto negativo de cerca de R$ 3 bilhões.

    Apesar do resultado abaixo do esperado pelo mercado, Frederico entende que o balanço ainda está em linha, principalmente se forem considerados outros fatores que estão condizentes com a política da companhia, como é o caso dos dividendos.

    Com o resultado, a Petrobras aprovou um pagamento de R$ 17,5 bilhões em dividendos e juros sobre capital próprio (JCP) aos acionistas.

    Em comunicado ao mercado, o presidente da estatal, Jean Paul Prates, disse que “estão trabalhando para que a Petrobras cresça de forma sustentável e rentável”.

    Além disso, ele explicou que seguirá com a estratégia comercial para os combustíveis, que vem se mostrando bem-sucedida, tornando a Petrobras mais competitiva no mercado e ao mesmo tempo permitindo períodos de estabilidade para o consumidor, segundo Prates.