Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Após revés sobre marco fiscal, Haddad se encontra com Lira e debate votação na Câmara

    Lira decidiu, durante encontro com os líderes partidários da casa, adiar a votação do novo marco fiscal do país; ideia é aguardar o desfecho da reforma ministerial

    Cristiane Nobertoda CNN

    Brasília

    O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, vai questionar o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), sobre o avanço da votação do arcabouço fiscal na Casa. Os dois estão reunidos na presidência da Câmara nesta quarta-feira (2).

    Apesar da agenda não ser para tratar do assunto, Haddad sinalizou que vai perguntar a Lira sobre a pauta.

    Na terça-feira (1º), Lira decidiu, durante encontro com os líderes partidários da casa, adiar a votação do novo marco fiscal do país. A ideia dele é aguardar o desfecho da reforma ministerial, que pode abrir espaço para PP, seu partido, e Republicanos dentro do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

    Após a reunião, Haddad falou à imprensa que Lira assegurou que não estaria segurando a votação por conta das mudanças nos ministérios. O ministro ainda foi enfático ao dizer que não há “nenhum constrangimento em relação ao governo” para votar a matéria. “Até porque ele (Lira) sabe da importância de definir as regras do orçamento do ano que vem. Não tem orçamento do ano que vem sem que a matéria seja votada”, frisou.

    “Eu perguntei para ele (Lira) e ele falou que não tem nada a ver mexida em ministérios. Absolutamente, não tem nada a ver uma coisa com a outra. Nós sabemos que temos o compromisso de votar o arcabouço por conta do orçamento. Não tem como mandar o orçamento sem a nova regra fiscal aprovada e estamos todos conscientes disso”, disse.

    Haddad ainda disse que a proposta de orçamento para o próximo ano será enviada até o dia 30 de agosto e que precisa de trâmites, como a assinatura do presidente Lula.

    Segundo ele, Lira deve convocar uma reunião de líderes na próxima semana onde os dois projetos, da Câmara e do Senado, serão discutidos e o relator levará ao plenário da Câmara a palavra final dos parlamentares. No entanto, acrescentou que Lira não se comprometeu com prazos, mas que a expectativa é de votação na semana que vem.

    Mais cedo, em entrevista ao programa ‘Bom Dia, Ministro’, da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), Haddad afirmou que o novo marco fiscal será aprovado pela Câmara “nas próximas semanas em caráter terminativo”.

    O ministro ainda reforçou que o Orçamento para 2024, a ser enviado ao Congresso, será “equilibrado”. Haddad também destacou que o presidente Lula “vai anunciar metas para os Estados”, já na próxima semana, dentro do no novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

    “Precisamos destravar o investimento público, com responsabilidade fiscal”, disse na ocasião.