Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Avião Airbus Beluga pousa no Brasil pela 1ª vez; veja detalhes e curiosidades

    Aeronave transportava um helicóptero ACH160 e teve como destino o aeroporto de Fortaleza; viagem também foi a primeira para a América Latina

    Tiago Tortellada CNN

    em São Paulo

    O avião Beluga ST da Airbus pousou na América Latina pela primeira vez no domingo (24). A aeronave trouxe um helicóptero ACH160 (que pesa aproximadamente seis toneladas e pode levar até 10 passageiros), e o destino da viagem foi o aeroporto de Fortaleza.

    O icônico “avião baleia” leva esse apelido por causa do formato de sua fuselagem, que lembra uma baleia beluga.

    Operando há mais de 20 anos, a frota de cinco aviões, baseados no design do A300-600, era utilizada para serviços “internos” da empresa na Europa, transportando grandes seções de aeronaves.

    Segundo a companhia, cada um deles pode acomodar cargas de até 7,1 metros de largura, 6,7 metros de altura e 40 toneladas. A autonomia de voo é de aproximadamente 1.700 km.

    Porém, com a criação do novo modelo, o Beluga XL, a Airbus lançou no início de 2022 um serviço de fretamento comercial utilizando os Beluga ST — o que já aconteceu antes, mas em poucas ocasiões.

    De acordo com o comunicado da empresa, diversos setores podem ser beneficiados, incluindo “espacial, energético, militar, aeronáutico, marítimo e humanitário”.

    À época, Philippe Sabo, chefe da Airbus Transport International, afirmou que a frota está com “apenas 50% de sua vida útil”.

    “Eles foram projetados para 30 mil ciclos de voo e atualmente têm uma média de 15 mil”, pontuou. Um ciclo de voo é uma decolagem e um pouso.

    Quando todos os seis aviões Beluga XL previstos no projeto da empresa forem construídos, a frota do Beluga ST “será entregue a uma companhia aérea subsidiária dedicada recém-criada com seu próprio Certificado de Operador Aéreo (AOC) e equipe”.

    Projeto complexo e detalhes

    Para chegar ao modelo final, os engenheiros da Airbus “cortaram” a parte superior do A300-600, adicionaram uma seção de fuselagem mais larga — dando ao avião a “corcova” característica”. O cockpit foi reposicionado mais para baixo, o que permite que a carga seja carregada pela frente.

    A aeronave é comandada por um dois pilotos e um operador de carga e tem estabilizadores especiais na cauda.

    Como apenas o cockpit é pressurizado, há um módulo de aquecimento que fornece um ambiente adequado para cargas que requerem condições de temperatura específicas, como cargas do setor espacial.

    Novidades

    Para adequar o Beluga ST às necessidades comerciais, estão sendo desenvolvidos um “carregador automático de carga a bordo”, o que permite a operação em “aeroportos que não disponham de plataforma de carga/descarga adequada e para cargas úteis até 20 toneladas”.

    Segundo a Airbus, essa ferramenta será armazenada em frente à área interna de carga útil e poderá “carregar e descarregar a carga de forma autônoma”.

    Também foi projetada uma nova “plataforma externa transportável”. Pelo menos seis objetos desse tipo serão pré-posicionados em aeroportos ao redor do mundo, podendo ser transportados para outros locais dependendo da necessidade.

    Atraindo curiosos

    O avião atrai muitas pessoas para os aeroportos onde passa. Em Toulouse, na França, por exemplo, visitantes podem ser encontrados sentados na grama próxima ao aeroporto de Toulouse Blagnac esperando que um deles decole ou aterrisse.

    Primeira viagem da nova era comercial

    A primeira viagem do avião foi nessa “nova era comercial” aconteceu no final de 2021. Um helicóptero da Airbus saiu de Marignane, na França, para Kobe, no Japão. O cliente não foi revelado pela companhia.

    O Beluga número 3 teve de parar para reabastecer em Varsóvia, na Polônia, Novosibirsk, na Rússia, e Seul, na Coreia do Sul.

    Ficha técnica:

    • Altura: 17,25 m
    • Comprimento de ponta a ponta das asas: 44,84 m
    • Comprimento geral: 56,16 m
    • Peso máximo para decolagem: 155 toneladas
    • Peso máximo para pouso: 140 toneladas
    • Capacidade máxima de combustível: 23.860 litros (densidade 0.803)
    • Autonomia: 1.700 km

    *com informações da Reuters e da CNN