Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Black Friday: veja dicas para não cair em golpes durante dia de descontos

    Órgão faz alerta para que consumidores tenham atenção redobrada em compras via e-commerce, onde práticas enganosas são mais recorrentes

    Senacon reforça a dica para que consumidores não se deixem levar pelas ofertas e efetuem compras por impulso, sobretudo quando há chances de endividamento
    Senacon reforça a dica para que consumidores não se deixem levar pelas ofertas e efetuem compras por impulso, sobretudo quando há chances de endividamento Pexels/Ivan Samkov

    Tamara Nassifdo CNN Brasil Business

    em São Paulo

    Uma das principais datas do varejo, a Black Friday pode ser uma boa oportunidade para quem busca descontos, mas o evento também atrai pessoas mal-intencionadas.

    Para evitar golpes e operações fraudulentas no período, marcado para o dia 25 de novembro, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), vinculada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, publicou uma série de dicas.

    O órgão ainda faz um alerta para que consumidores tenham atenção redobrada em compras via e-commerce, onde as práticas enganosas são mais recorrentes. Confira abaixo as dicas para aproveitar das ofertas da Black Friday em segurança.

    Busque sites oficiais

    Um dos principais métodos de golpistas é enviar links e anúncios que simulam o site oficial, mas que, ao efetuar a compra, se provam fraudulentos, ou ainda instalam softwares maliciosos sem que o usuário se dê conta.

    Por isso, a Senacon orienta a procura por sites oficiais das lojas que interessem o consumidor e cuidado com anúncios de fornecedores desconhecidos.

    Vale conferir listas de fornecedores que devem ser evitados, publicadas por alguns Procons.

    Confira a reputação da loja

    A plataforma consumidor.gov.br permite que a checagem da reputação de grandes varejistas, incluindo também reclamações, experiências de usuários e outros dados relevante. A Senacon orienta que os consumidores acessem o site para que tenham mais segurança na hora de efetuar a compra;

    Além disso, é importante que as ofertas sejam comparadas em sites diferentes, e que o alerta soe para produtos que apareçam muito mais baratos em alguma plataforma em comparação às concorrentes.

    Outra dica é manter uma cópia dos anúncios e suas condições, para que o usuário possa recorrer ao fornecedor ou ao Procon em caso de descumprimento pela loja das normas acordadas. É interessante também pegar uma declaração por escrito, em lojas físicas, caso um produto comprado possa ser trocado, em modelo ou tamanho.

    Compare ofertas antes da Black Friday

    Alguns varejistas lançam mão de uma estratégia enganosa: pouco antes da Black Friday, sobem o valor do produto para que, na data promocional, seja cobrado o preço original, e não o descontado. A dica da Senacon é que o consumidor pesquise antes que a data comemorativa bata à porta, de forma a evitar as supostas ofertas.

    O órgão ainda diz que, caso a manipulação de preços seja identificada, a orientação é denunciá-la ao Procon local.

    Meios de pagamento

    Antes que o produto seja de fato comprado, a Senacon orienta que o consumidor verifique a presença de certificados de segurança de pagamentos nas transações bancárias realizadas com o fornecedor: sites para pagamento online devem ter endereço inicial com “https://” ou imagem de pequeno cadeado fechado no canto inferior direito da tela.

    A dica é também evitar compras em computadores de terceiros ou em redes Wi-Fi públicas. Para quem optar por pagar com Pix, deve-se sempre conferir também os dados do recebedor.

    Políticas de devolução

    Caso o consumidor se arrependa do produto comprado em e-commerces, ele tem o direito de devolvê-lo ao fornecedor por um período de 7 dias, contados a partir da data de entrega.

    Vale reforçar que compras feitas em lojas físicas não têm essa garantia legal. Por isso, em qualquer hipótese, a Senacon orienta que o consumidor se informe sobre as políticas de devolução e trocas antes que o pagamento seja efetuado.

    Compras por impulso

    A Senacon reforça a dica para que consumidores não se deixem levar pelas ofertas e efetuem compras por impulso, sobretudo quando há chances de endividamento. “É importante estar atento para comprar somente o necessário”, escreve o órgão.

    Reclamações

    Se o problema não for resolvido diretamente com a empresa, a Senacon indica que o consumidor acione o Procon mais próximo ou registre uma reclamação formal junto à plataforma consumidor.gov.br.