Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Bolsas dos EUA fecham em alta, de olho em falas do Fed, dados e Pelosi

    Índice Dow Jones subiu 1,29%, a 32.812,50 pontos, o S&P 500 avançou 1,56%, a 4.155,17 pontos, e o Nasdaq teve alta de 2,59%, a 12.668,16 pontos

    Agência Estado

    As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta quarta-feira (3), com acionistas acompanhando falas de diversos dirigentes do Federal Reserve (Fed) e resultados dos ídnices de gerentes de compras (PMIs) americanos.

    O fim da viagem da presidente da Câmara de Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, trouxe algum alívio aos mercados.

    O índice Dow Jones subiu 1,29%, a 32.812,50 pontos, o S&P 500 avançou 1,56%, a 4.155,17 pontos, e o Nasdaq teve alta de 2,59%, a 12.668,16 pontos.

    Entre dirigentes, o presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, reiterou desejo de juros entre 3,75% e 4% ao fim do ano. Da distrital de São Francisco, a presidente Mary Daly afirmou considerar razoável alta de 50 pontos-base na próxima reunião, em setembro.

    O presidente do Fed Richmond, Tom Barkin, afirmou que a recessão é uma possibilidade e frisou necessidade de controlar inflação. E da distrital de Minneapolis, Neel Kashkari disse que um corte de juros em 2023 parece “muito improvável”.

    Já nos indicadores, o PMI de serviços dos EUA elaborado pelo Instituto para Gestão da Oferta (ISM) subiu a 56,7 em julho, na leitura final, acima da previsão de 54,0 dos analistas. Já o PMI de serviços do país elaborado pela S&P Global recuou a 47,3 no mesmo mês, sinalizando contração.

    Quanto às ações em foco, Moderna avançou 15,97%, após publicar balanço que superou a expectativa de lucro e receite no segundo trimestre. Entre algumas ações de peso, Meta subiu 5,37%, Apple ganhou 3,82% e Amazon, 4,00%. Boeing, por sua vez, subiu 2,06%.

    Já o setor de energia foi o único a cair hoje, em jornada negativa para o petróleo, com a ação da Chevron em baixa de 2,38% e ExxonMobil, de 3,24%.