Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ações em Wall Street caem com investidores à espera de novo aumento do Fed

    Mercado espera aumento de 0,75 ponto percentual nos juros norte-americanos, mas não descarta elevação de 1 p.p. para combater as pressões inflacionárias nos EUA

    Placa em frente à Bolsa de Valores de Nova York sinaliza Wall Street
    Placa em frente à Bolsa de Valores de Nova York sinaliza Wall Street REUTERS/Mike Segar

    Por Paul R. La Monica, CNN Business

    As ações em Wall Street caíram nesta terça-feira (20), com os investidores preocupados com o impacto de outro grande aumento nas taxas, de olho na reunião de amanhã do Federal Reserve (Fed) e a decisão sobre a política monetária nos Estados Unidos.

    O Dow Jones caiu mais de 313 pontos, ou 1%, enquanto o S&P 500 terminou o dia em queda de 1,1%, e o Nasdaq encerrou com uma perda de cerca de 1%.

    Não houve relatórios de ganhos dignos de nota na terça-feira, embora um aviso da Ford sobre a inflação e problemas na cadeia de suprimentos tenha aumentado as preocupações dos investidores.

    Também não havia muitos dados econômicos para os investidores focarem além de um novo relatório de habitação, que foi misto. A construção de moradias para agosto aumentou mais de 12% em relação a julho, mas as licenças de construção caíram 10%.

    É improvável que os números da habitação mudem a opinião dos formuladores de políticas do Fed, que anunciarão outro aumento de juros na quarta-feira. O mercado está precificando uma chance de quase 85% de um terceiro aumento consecutivo de três quartos de ponto percentual.

    Mas há quem acredite que o Fed será ainda mais agressivo e aumentará as taxas em um ponto percentual sem precedentes, ou 100 pontos-base, principalmente devido às contínuas pressões inflacionárias.

    “O relatório do índice de preços ao consumidor introduziu um nível de incerteza sobre como o Fed se comportará”, disse Garrett DeSimone, chefe de pesquisa quantitativa da OptionMetrics.

    DeSimone disse que acha que o Fed deve aumentar as taxas em 100 pontos-base, um movimento que seria como “arrancar o aumento do Band-Aid”.

    As expectativas de taxas mais altas também impulsionaram os rendimentos dos títulos de longo prazo. O Tesouro dos EUA de 10 anos atingiu um pico de 3,6% em determinado momento nesta terça-feira, antes de recuar. Esse é o nível mais alto desde fevereiro de 2011.

    A liquidação do mercado segue um rali modesto para começar a semana. As ações subiram no final do pregão de segunda-feira, depois de pairar perto dos níveis de equilíbrio durante a maior parte do dia.

    Mas o mercado teve alguns dias difíceis, caindo na semana passada após um alerta chocante de ganhos da FedEx, que levantou mais preocupações sobre a saúde da economia global e da América corporativa.

    “Estamos vendo muito da ressaca da FedEx ainda escorrendo nos mercados”, disse Anthony Denier, CEO da Webull, uma corretora online. “Os estoques de transporte são um canário na mina de carvão quando se trata de economia.”

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original