Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Brasil e Argentina estudam novo mecanismo para acordo bilateral

    Argentina fez contraproposta ao Brasil e novos estudos vão ser feitos com contrapartida de garantias para financiamento de exportações entre os dois países

    Os ministros da Fazenda do Brasil, Fernando Haddad, e da Economia da Argentina, Sergio Massa, falaram com a imprensa
    Os ministros da Fazenda do Brasil, Fernando Haddad, e da Economia da Argentina, Sergio Massa, falaram com a imprensa 28/08/2023 - Valter Campanato/Agência Brasil

    Gabriela Pradoda CNN

    Brasília

    O ministro da Economia da Argentina e candidato à presidência, Sérgio Massa, e o ministro da Fazenda do Brasil, Fernando Haddad, anunciaram um estudo de um novo mecanismo de financiamento de exportação entre os países.

    A contraproposta feita pela Argentina entrou em pauta depois de uma conversa entre os ministros e integrantes do Banco de Desenvolvimento da América Latina e do Caribe (CAF).

    A instituição afirmou que pode construir uma contrapartida de garantia para exportação. Com essa proposta, o financiamento que seria de 140 milhões de dólares pode chegar até a 600 milhões de dólares.

    A primeira proposta do governo brasileiro previa uma linha de financiamento com taxas de 5,4% ao ano, por meio de crédito rotativo do Banco do Brasil. A operação seria feita entre real e yuan (moeda chinesa). Mas o mecanismo poderia comprometer as reservas argentinas na moeda.

    Segundo Haddad, o novo mecanismo começou a ser estudado desde a última sexta-feira (25) e é uma operação inédita. Os financiamentos seriam principalmente para reestabelecer relações nos setores automotivo e alimentício.

    “Foi uma maneira que a CAF encontrou de reestabelecer o fluxo entre os dois países sem que a Argentina perca reservas mesmo em yuan (moeda chinesa). O Banco do Brasil vai garantir as exportações brasileiras e o CAF vai entrar com a contrapartida para o Banco do Brasil. Seria uma operação nova, mas que vem ao encontro dos interesses do Brasil e Argentina para reestabelecer o comércio bilateral”, comentou Haddad.

    A CAF deve responder sobre as documentações necessárias até 14 de setembro. A ideia é que até o fim do próximo mês saia a autorização das garantias do banco.