Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Caixa deve retomar consignado para Auxílio Brasil, diz presidente do banco

    Segundo a presidente do banco, Daniella Marques, a oferta deverá ser retomada depois que o Dataprev concluir o processamento da folha de pagamento

    Daniella Marques, presidente da Caixa
    Daniella Marques, presidente da Caixa Ton Molina/Fotoarena/Estadão Conteúdo - 25.mai.2022

    Fabrício Juliãodo CNN Brasil Business

    em São Paulo

    A presidente da Caixa Econômica Federal, Daniella Marques, afirmou nesta quarta-feira (9) que o banco deve retomar as concessões de crédito consignado para as pessoas que recebem o Auxílio Brasil.

    A Caixa havia suspendido a oferta do crédito na última sexta-feira (4), após dizer que faria a pausa para processar a folha de pagamento federal. A presidente da instituição financeira destacou nesta manhã que o empréstimo consignado será retomado assim que a Dataprev concluir o processamento da folha.

    A oferta de crédito consignado aos beneficiários do programa social de R$ 600 do governo federal foi anunciada no início de outubro. O valor máximo da prestação do empréstimo é de até 40% do valor do benefício, e conta com taxas de juros anuais de 3,5% e prazo de pagamento de até dois anos.

    A medida foi criticada por especialistas, que dizem que os beneficiários poderiam se complicar com os juros embutidos e, assim, criar dívidas.

    Também em outubro, o Tribunal de Contas da União (TCU) pediu que a Caixa suspendesse o empréstimo consignado. Foi solicitado pareceres, notas técnicas, resoluções e decisões colegiadas que tratem sobre os critérios de concessão aos beneficiários do Auxílio Brasil. A Corte também solicitou informações referentes às taxas de juros, à rentabilidade, à inadimplência esperada e à aprovação da linha de crédito relativa ao empréstimo.

    Marques fez um pronunciamento para “esclarecer” questões sobre o crédito que haviam sido noticiadas, e destacou que sua oferta está no Estatuto da Caixa e, portanto, é legítimo.