Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    China impõe novas sanções a Taiwan em resposta à visita de Pelosi

    Autoridades chinesas suspenderam a importação de frutas cítricas da ilha, citando “controle de pragas” e “resíduos excessivos de pesticidas”

    CNN

    A China suspendeu a importação de frutas cítricas e alguns produtos de pesca de Taiwan e a exportação de areia natural para a ilha, disseram autoridades chinesas nesta quarta-feira (3), em meio à visita da presidente da Câmara dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, a Taipé.

    O porta-voz do Escritório de Assuntos de Taiwan da China, Ma Xiaoguang, disse  que a importação de toranja, limões, laranjas e outras frutas cítricas, bem como alguns peixes congelados de Taiwan para a China, foi suspensa.

    Em um comunicado separado, a Alfândega Chinesa disse que a suspensão da importação de frutas cítricas é resultado do “controle de pragas” e “resíduos excessivos de pesticidas” e citou a “prevenção de Covid” para a suspensão das importações de frutos do mar.

    Enquanto isso, o Ministério do Comércio da China também anunciou na quarta-feira que está suspendendo imediatamente sua exportação de areia natural para Taiwan, um componente-chave para a produção de chips semicondutores.

    Em um comunicado após o anúncio, o Escritório de Mineração de Taiwan disse que a suspensão das exportações de areia da China teria um efeito “limitado” e que a demanda doméstica da ilha por areia chinesa representa “menos de 1%” nos últimos anos.

    Em meio a crescentes tensões com Taiwan nos últimos anos, a China já havia proibido as importações de alguns produtos. No ano passado, a China proibiu o comércio de abacaxis da ilha, seguidos de alguns tipos de maçãs, citando “controle de pragas”.

    No início deste ano, também proibiu o peixe garoupa de Taiwan, citando a detecção de algumas drogas proibidas e antibióticos excessivos.

    Os anúncios da China coincidem com a visita de Pelosi a Taiwan. A líder da Câmara americana disse que quer deixar “inequivocamente claro” que os EUA não abandonarão a ilha.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original