Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Como Taylor Swift, Barbie e Beyoncé estão impulsionando economia nos EUA

    "Barbie" arrecadou mais de US$ 1 bilhão, a turnê de Beyoncé foi acusada de aumentar a inflação em Estocolmo, já as últimas noites da "The Eras Tour" em Los Angeles devem trazer US$ 320 milhões para a cidade

    Em junho, a taxa de participação na força de trabalho de mulheres em idade ativa, de 25 a 54 anos, atingiu uma alta histórica de 77,8%
    Em junho, a taxa de participação na força de trabalho de mulheres em idade ativa, de 25 a 54 anos, atingiu uma alta histórica de 77,8% Reprodução

    Vanessa Yurkevichda CNN

    Milhões de pessoas de todas as gerações estão pagando caro para assistir shows da Beyoncé, Taylor Swift e ao filme da “Barbie”, proporcionando um “impulso feminino” à economia dos Estados Unidos.

    “Adorei ir com minha família ver a Taylor Swift e Barbie”, disse Chelsea Deutsch, de 15 anos. “Eu não acho que preferiria que fosse de outra maneira.”

    “Barbie” arrecadou até agora mais de US$ 1 bilhão nas bilheterias. A turnê de Beyoncé foi um sucesso tão grande que ela foi acusada de aumentar a inflação em Estocolmo.

    Já as últimas seis noites da “The Eras Tour” de Taylor Swift, em Los Angeles, devem trazer US$ 320 milhões para a cidade, de acordo com o “California Center for Jobs and the Economy”.

    “Acho que o que estamos vendo agora é que as mulheres não devem ser subestimadas. Elas impulsionam as economias e esse impacto não deve ser negligenciado”, disse Kristina Chiappetta, diretora executiva de estratégia da Landor & Fitch. “Mas as marcas não falam o mesmo idioma que elas há muito tempo.”

    Essa linguagem muitas vezes não falada é a autenticidade e empoderamento.

    Uma mensagem positiva

    Onze mulheres e meninas da família de Chelsea – com idades entre 12 e 54 anos – foram ver a cantora Taylor Swift no MetLife Stadium em East Rutherford, Nova Jersey. Pelo menos sete também viram “Barbie”.

    “Eu acho que foi bom fazer parte de coisas que tinham uma mensagem positiva para garotas, o que definitivamente não é a norma geral. Então, espero que isso desperte uma virada, e talvez possamos ver um pouco mais disso”, disse Jennifer Deutsch, mãe de Chelsea.

    As mulheres controlam ou influenciam mais de 80% dos gastos do consumidor, diz Chiappetta. O segredo é como explorar isso.

    Há mais mulheres do que nunca em idade ativa nos Estados Unidos, ganhando – e gastando – seus salários.

    As taxas de participação das mulheres na força de trabalho se recuperaram da pandemia e retornaram à forma pré-pandêmica.

    Em junho, a taxa de participação na força de trabalho de mulheres em idade ativa, de 25 a 54 anos, atingiu uma alta histórica de 77,8%, de acordo com dados do Bureau of Labor Statistics.

    A taxa recuou ligeiramente em julho para 77,5%, mas ainda se manteve historicamente alta.

    “Eu fiz acontecer”

    Helen Polise não ia deixar que dois voos cancelados a impedissem de ver o último show de Taylor Swift em Los Angeles com sua filha Juli.

    “Venha o inferno ou faça sol, eu tinha que ir para o show. Então eu fiz acontecer”, disse Polise.

    Seus planos para ver a turnê de Taylor Swift estão em andamento desde maio: um fim de semana de poder feminino, repleto de shows, jantares, roupas, miçangas, uma passagem de primeira classe de última hora e “Barbie”.

    “Isso foi tão diferente de tudo que já fizemos juntos. Então acho que estava disposto a fazer o que fosse preciso”, disse Polise.

    O fator de identificação com as mulheres na tela e no palco é parte do que torna essas experiências femininas neste verão tão especiais, disse Chiappetta.

    “Acho que o que é realmente poderoso quando você assiste ao filme ‘Barbie’ ou ouve as letras de Taylor Swift é que expressa a experiência multidimensional completa de ser uma mulher hoje. E isso é algo que não vimos muito quando você olha para o marketing tradicional. A maneira como muitas marcas falam com as mulheres é unidimensional”, disse Chiappetta.

    Grandes gastos

    Alguns ingressos para Swift e Beyoncé custam mais de US$ 1.000. Isso prejudicou algumas pessoas e forçou outras a desembolsar muito dinheiro.

    “Os homens vão a muitos jogos esportivos e gastam muito dinheiro em ingressos esportivos, e isso nunca é considerado absurdo ou exagerado. Para nós, isso é como o meu Super Bowl”, disse Juli Polise, de 27 anos, filha de Helen.

    Juli e as meninas da família de Chelsea que viram Taylor Swift saíram do filme “Barbie” com suas mães em mente.

    “Estamos tentando fazer com que nossa mãe veja porque acho que ela adoraria. Porque minha mãe sempre ama o poder feminino”, disse Dylan Ritcher,  de 12 anos, que faz parte da família de Polise.

    E, como muitas mães podem se identificar, quando sua filha quer compartilhar o maior momento do verão com você, você diz sim e encontra uma maneira de fazer isso acontecer – porque essa lembrança não tem preço.

    “Quando suas garotas ficam mais velhas e têm 23 e 20 anos e querem ir a um show com você, você está brincando comigo?” disse Lisa Van Strat, que viu Taylor Swift com suas duas filhas e família.

    Veja também: Fitch rebaixa nota de crédito dos EUA

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original