Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Confiança do empresário da indústria registra queda em outubro, mostra CNI

    Índice da Confederação Nacional da Indústria aponta que todos segmentos analisados seguem acima dos 50 pontos, que indica cenário de confiança do setor

    Recuos mais elevados foram observados nas regiões Centro-Oeste, Sul e Norte
    Recuos mais elevados foram observados nas regiões Centro-Oeste, Sul e Norte REUTERS/Paulo Whitaker

    Do CNN Brasil Business*

    O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) registrou queda na maior parte dos setores industriais – 23 de 29 setores considerados – em outubro. No entanto, todos os segmentos seguem com mais dos 50 pontos de confiança, ou seja, acima da linha divisória. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (25) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

    De acordo com a entidade, a queda de confiança reflete, em maior medida, expectativas menos positivas para os próximos seis meses e, em menor medida, uma avaliação menos positiva das condições atuais frente aos últimos seis meses.

    As maiores quedas foram observadas nos setores Impressão e Reprodução de Gravações (-8,3 pontos), resultando em 58,3 pontos; Produtos de Borracha (-6,6 pontos), totalizando 56,5 pontos; e Calçados e suas partes (-6,2 pontos), com 58,4 pontos.

    Assim, os setores mais confiantes são: Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos (65,7 pontos), Produtos farmoquímicos e farmacêuticos (64,7 pontos), Produtos de Metal (62,9 pontos) e Couros e artefatos de couro (62,2).

    Os grupo dos menos confiantes é formado por Produtos de Borracha (56,5 pontos), Produtos de minerais não metálicos (57,6 pontos), Biocombustíveis (57,7 pontos) e Máquinas e equipamentos (57,8).

    O ICEI varia de 0 a 100 pontos. Valores acima de 50 pontos indicam confiança do empresário e quanto mais acima de 50 pontos, maior e mais disseminada é a confiança. Valores abaixo de 50 pontos indicam falta de confiança do empresário e quanto mais abaixo de 50 pontos, maior e mais disseminada é a falta de confiança.

    Com relação ao tamanho das empresas, a confiança caiu em todos os portes do setor industrial, especialmente nas pequenas empresas (-3,2 pontos), seguidas das grandes (-2,2 pontos) e médias (-2,0 pontos).

    Apesar da queda, empresários de indústrias de todos os portes ainda demonstram confiança, uma vez que em nenhum dos segmentos foi identificado um valor abaixo dos 50 pontos.

    Já na análise por região, o índice aponta recuo em todo o Brasil. Os recuos mais elevados foram observados nas regiões Centro-Oeste (-3,2 pontos), Sul (-3,0 pontos) e Norte (-2,7 pontos). Nas regiões Sudeste e Nordeste a confiança recuou menos: 2,0 pontos e 1,7 ponto, respectivamente. Ainda assim, todas as regiões seguem com a confiança acima dos 50 pontos.

    (*Texto publicado por Pedro Zanatta)