Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Cortes de empregos continuarão no próximo ano, diz CEO da Amazon

    Redução de funcionários ocorrerão à medida que líderes fazem ajustes

    Catherine Thorbeckedo CNN Business

    O CEO da Amazon, Andy Jassy, ​​disse que os cortes de empregos na gigante do comércio eletrônico continuarão no início do próximo ano, em seus primeiros comentários públicos desde que a empresa iniciou demissões generalizadas no início desta semana.

    “Nosso processo de planejamento anual se estende até o ano novo, o que significa que haverá mais reduções de funções à medida que os líderes continuem fazendo ajustes”, escreveu Jassy em uma carta à equipe na quinta-feira (17). “Essas decisões serão compartilhadas com os funcionários e organizações afetadas no início de 2023.”

    O CEO falou que a empresa “ainda não concluiu exatamente quantas outras funções serão impactadas” pelas demissões, mas acrescentou que “cada líder se comunicará com suas respectivas equipes quando tivermos os detalhes acertados”.

    A Amazon confirmou na quarta-feira que as demissões começaram na empresa, apenas alguns dias depois que vários pontos de venda informaram que a gigante do comércio eletrônico planejava cortar cerca de 10.000 funcionários esta semana.

    A gigante do e-commerce e outras empresas de tecnologia aumentaram significativamente as contratações nos últimos dois anos, à medida que a pandemia mudou os hábitos dos consumidores para o comércio eletrônico. Agora, muitas dessas companhias, aparentemente intocáveis, ​​estão passando por uma crise e demitindo milhares de trabalhadores, à medida que as pessoas retornam aos hábitos pré-pandêmicos e as condições macroeconômicas se deterioram.

    A Meta, controladora do Facebook, anunciou recentemente 11.000 cortes de empregos, o maior na história da empresa. O Twitter também anunciou cortes generalizados de empregos depois que Elon Musk comprou a empresa por US$ 44 bilhões.

    Jassy fez alusão ao clima macroeconômico em seu memorando na quinta-feira, dizendo que a revisão operacional anual deste ano “é mais difícil porque a economia permanece em um local desafiador e contratamos rapidamente nos últimos anos”.

    O CEO ainda destacou que esta é a decisão mais difícil que a empresa teve de tomar, durante seu mandato de um ano e meio no comando da Amazon.

    “Não passou despercebido por mim ou por qualquer um dos líderes que tomam essas decisões que não são apenas funcionários que estamos eliminando, mas sim pessoas com emoções, ambições e responsabilidades cujas vidas serão impactadas”, escreveu Jassy.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original