Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Crédito ampliado cresce 8,5% em 2022, e chega a R$ 14,8 trilhões

    Crescimento dos empréstimos do sistema financeiro nacional (SFN) e dos títulos públicos foram os destaques para o ano

    Valor registrado no mês representa 150,1% do PIB do país
    Valor registrado no mês representa 150,1% do PIB do país Getty Images

    Elis Barretoda CNN

    Brasília

    O saldo do crédito ampliado ao setor não financeiro chegou a R$ 14,8 trilhões em 2022, registrando um crescimento de 8,5% no ano, frente a uma alta de 13,9% em 2021. O valor registrado no mês representa 150,1% do PIB do país. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (27), pelo Banco Central do Brasil (BCB).

    De acordo com o BC, esse aumento foi explicado majoritariamente pelo crescimento dos empréstimos do sistema financeiro nacional (SFN), de 14,2%, e dos títulos públicos, que registraram alta de 14,1%.

    O crédito ampliado às famílias alcançou 34,8% do PIB em 2022, chegando a R$ 3,4 trilhões. Isso representa uma expansão anual de 16,7% nessa modalidade de crédito. O crescimento nesse tipo de modalidade reforça a alta registrada no saldo de crédito.

    O crédito às famílias teve ainda um aumento de 0,8% em dezembro, em decorrência do comportamento de expansão nos empréstimos do setor financeiro, segundo a nota do Banco Central.

    Inadimplência

    A inadimplência do crédito livre do sistema financeiro, que considera os atrasos superiores a 90 dias, fechou o ano em 4,2%, registrando alta de 1,1 ponto percentual. No caso das operações direcionadas, houve estabilidade em 2022, finalizando o ano em 1,2%.

    “O endividamento das famílias com operações de crédito do SFN alcançou 49,5% em novembro, com queda de 0,2 p.p. no mês e elevação de 0,3 p.p. em doze meses. O comprometimento de renda aumentou 0,2 p.p. no mês e 1,8 p.p. em doze meses, situando-se em 28,2%.”, completa o BC.