Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Crítico da reforma, Marinho defende nova legislação trabalhista ao tomar posse

    Ao tomar posse, Luiz Marinho disse ainda que vai priorizar diálogos tripartites para construir uma legislação próxima das melhores práticas existentes no mundo

    Diego Mendesdo CNN Brasil Business

    São Paulo

    Ao assumir o Ministério do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho defendeu uma nova legislação trabalhista, com o objetivo de aumentar a produtividade no Brasil.

    Crítico da atual reforma, Marinho avaliou que o caminho para as mudanças nas relações do trabalho do país está no crescimento da economia brasileira.

    “Quero declarar que iremos em pouco tempo, por meio do diálogo tripartite e juntamente com o Congresso Nacional, construir uma legislação que modernize os nossos sistemas sindical e de relações do trabalho”

    Marinho também destacou que pretende dialogar com o Congresso Nacional e levar uma proposta para preservar permanentemente o salário mínimo acima da inflação.

    “Vamos apresentar uma proposta de valorização real do salário mínimo ao presidente Lula“, acrescentou Marinho durante a cerimônia de transmissão do cargo, em Brasília, realizada nesta terça-feira (3).

    “Queremos e precisamos aumentar a produtividade do trabalho para gerar valor para a nossa economia”, comentou ele.

    O ministro disse ainda que vai priorizar diálogos tripartites para construir uma legislação que modernize o sistema sindical e de relações de trabalho para aproximar das melhores práticas existentes no mundo. Afirmou ainda que não voltará com o imposto sindical.

    “Fortalecimento (dos sindicatos) passa pelo processo de privilegiar a negociação coletiva. Imposto sindical esquece, isso não existirá mais no Brasil”, disse Marinho, ao deixar a cerimônia de transmissão de cargo no Ministério, em Brasília.

    Protagonismo

    O novo ministro também disse no discurso que levará a agenda da pasta ao centro das decisões políticas. Ele afirmou ainda que o trabalho será o instrumento para acabar com a fome e reduzir a pobreza no país.

    “Farei de tudo para que a agenda do trabalho tenha protagonismo e para que esteja no centro das decisões políticas do país”, destacou.

    De acordo com Marinho, seu trabalho, junto com o presidente Lula, será de transformar o Brasil com “empregos dignos, bons salários, proteção sindical e previdenciária para todos e todas do país”.

    O ministro disse ainda que os empregos serão a base do avanço da economia. “Um país onde o trabalho será instrumento fundamental para acabar com a fome, reduzir a pobreza”, ressaltou.

    *Com informações do Estadão Conteúdo