Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dos 32 milhões com “dinheiro esquecido”, quase metade tem até R$ 1 a receber

    Apenas 1.318 brasileiros encontraram valores acima de R$ 100 mil no sistema do Banco Central

    Pedro Zanattado CNN Brasil Business

    Em São Paulo

    O Banco Central (BC) divulgou, nesta segunda-feira (14), que 32 milhões de brasileiros têm “dinheiro esquecido” nos bancos. Segundo a instituição, quase metade —ou seja 13,8 milhões— têm até R$ 1 a receber.

    Outros 8,7 milhões de brasileiros possuem entre R$ 1,01 e R$ 10 para serem resgatados no Sistema Valores a Receber. Ainda segundo o BC, 1.318 encontraram em suas contas valores acima de R$ 100 mil.

    Tabela divulgada pelo Banco central (BC) / /Reprodução

    O BC esclarece que “a quantidade total na tabela (32,3 milhões) é superior ao total de CPFs beneficiados (27,3 milhões) porque um mesmo CPF pode ter mais de um valor a receber”.

    Ao todo, a estimativa é de que existem R$ 8 bilhões para resgate. Desse total, R$ 3,2 bilhões na primeira fase, beneficiando 27,3 milhões de CPFs.

     

    Ainda nesta segunda-feira, teve início o processo para que as pessoas nascidas entre 1968 e 1983 ou empresas abertas nesse período possam pedir o saque de recursos esquecidos em instituições financeiras.

    O processo deve ser feito no site Valores a Receber, criado pelo Banco Central (BC) para consulta e agendamento da retirada de saldos residuais.

    O que é considerado “dinheiro esquecido”?

    Segundo a entidade monetária brasileira, o sistema de consulta procura valores que estejam nas seguintes condições:

    • Contas correntes ou poupança encerradas com saldo disponível
    • Tarifas cobradas indevidamente, desde que previstas em Termos de Compromisso assinados pelo banco com o BC
    • Parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, desde que previstas em Termos de Compromisso assinados pelo banco com o BC
    • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários de cooperativas de crédito
    • Recursos não procurados de grupos de consórcio encerrados