Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    DWS, do Deutsche Bank, é processado por suposta prática de greenwashing

    DWS nega repetidamente ter enganado os investidores e rejeita as alegações do grupo, que representa os consumidores no estado alemão de Baden-Wuerttemberg

    DWS rejeita as alegações, dizendo que toma muito cuidado na preparação do material de marketing
    DWS rejeita as alegações, dizendo que toma muito cuidado na preparação do material de marketing Unsplash

    da Reuters

    Um grupo de consumidores alemão abriu processo contra a unidade de gerenciamento de ativos do Deutsche Bank, DWS, por supostamente não informar corretamente as características de incentivo à proteção ambiental de um fundo no material de promoção dele.

    O processo ocorre no momento em que autoridades alemãs e norte-americanas investigam relatórios e alegações de um denunciante de que a DWS exagerou nos atributos de sustentabilidade dos investimentos que vendeu – uma prática conhecida como “greenwashing“.

    A DWS, que nega repetidamente ter enganado os investidores, rejeita as alegações do grupo, que representa os consumidores no estado alemão de Baden-Wuerttemberg.

    O grupo disse que entrou com uma ação contra a DWS em 26 de setembro em um tribunal de Frankfurt, que marcou uma audiência para 10 de março.

    A ação movida pelo grupo, com o fundo DWS Invest ESG Climate Tech, afirma que a gerenciadora de ativos disse aos investidores em material de marketing que não investe em setores controversos, como a indústria do carvão.

    O grupo diz que a resposta é “confusa” para os consumidores porque o material também afirma que as participações em fundos poderiam incluir empresas com até 15% do faturamento desse setor.

    “A questão é se isso está claro para todos”, disse Niels Nauhauser, que supervisiona os tópicos financeiros do grupo.

    A DWS rejeita as alegações, dizendo que toma muito cuidado na preparação do material de marketing.

    “Examinamos os documentos em foco em detalhes e continuamos convencidos de que as comunicações publicitárias do DWS… cumprem os requisitos legais”, disse a empresa.

    O processo contra a DWS é um de vários movidos pelo grupo de consumidores contra empresas financeiras por supostamente superestimar as credenciais “verdes” dos investimentos que promove.

    Asoka Woehrmann renunciou ao cargo de presidente-executivo da DWS em junho, depois que promotores alemães fizeram uma operação nos escritórios da empresa e do Deutsche Bank em Frankfurt por alegações de prática de greenwashing e investimentos enganosos.