Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Em meio a inverno cripto, Coinbase demite 20% de sua equipe

    Cortes de empregos ocorrem apenas alguns meses após outra grande rodada de demissões

    Paul R. La Monicado CNN Business

    Nova York

    O inverno cripto aparentemente ainda não acabou. A Coinbase anunciou na terça-feira que estava demitindo 950 pessoas, cerca de 20% de sua equipe. Os cortes de empregos ocorrem apenas alguns meses após outra grande rodada de demissões. A corretora de criptomoedas dispensou 1,1 mil pessoas em junho, cerca de 18% de seu quadro de funcionários na época.

    A Coinbase, como muitas outras empresas criptográficas de capital aberto e privado, foi duramente atingida pela queda maciça no preço do bitcoin e outras criptomoedas. O preço do bitcoin está oscilando em torno de US$ 17 mil, após atingir um pico próximo a US$ 65 mil no final de 2021.

    Alguns fãs de criptomoedas foram encorajados pelo sólido início do bitcoin até agora em 2023. O Bitcoin subiu mais de 4% desde o início do ano, sugerindo que os preços das criptomoedas podem ter finalmente atingido o fundo do poço.

    A esperança é que os preços do bitcoin e de outras criptomoedas comecem a se estabilizar, especialmente se os reguladores financeiros começarem a fornecer mais orientações e clareza sobre sua posição em relação às criptomoedas. Isso pode significar que o pior está quase no fim.

    “Uma grande parte do movimento de capitulação já foi aberta e a maré pode mudar em breve”, disse Naeem Aslam, analista-chefe de mercado da AvaTrade, em um relatório na terça-feira. Ele sugeriu que, se o bitcoin for capaz de subir acima de US$ 20 mil, isso “poderá reviver alguma confiança entre os traders”.

    Ainda assim, os touros do bitcoin ainda não têm muito o que comemorar. As ações da Coinbase, que abriram o capital em abril de 2021 e atingiram o recorde histórico de quase US$ 370 por ação no final daquele ano, caíram para cerca de US$ 40 – uma queda de quase 90% em relação ao pico.

    As ações subiram 4% na terça-feira depois que as demissões foram anunciadas. A Coinbase agora subiu quase 13% até agora em 2023.

    O CEO da Coinbase, Brian Armstrong, enfatizou em um post de blog na terça-feira que a empresa “está bem capitalizada e a criptografia não vai a lugar nenhum”.

    Mas Armstrong acrescentou que as demissões eram necessárias porque “precisamos ter certeza de que temos a eficiência operacional apropriada para enfrentar as desacelerações no mercado de criptomoedas e capturar oportunidades que possam surgir”.

    A queda livre do bitcoin levou a uma crise de confiança na indústria. Várias empresas criptográficas de alto perfil faliram, principalmente a queridinha da cripto (e rival da Coinbase) FTX.

    A empresa liderada por Sam Bankman-Fried já foi avaliada em US$ 37 bilhões antes de declarar falência. Bankman-Fried, ou SBF, como é mais conhecido, foi preso, foi extraditado das Bahamas e agora aguarda julgamento nos Estados Unidos.

    A SBF foi acusada de suposta fraude eletrônica, conspiração para cometer lavagem de dinheiro e vários outros crimes.

    No que poderia ser interpretado como um golpe contra a FTX e outras empresas de criptografia falidas, Armstrong disse na postagem do blog que “tempos sombrios também eliminam empresas ruins, como estamos vendo agora”.

    Armstrong acrescentou que “também vimos as consequências de atores inescrupulosos da indústria, e ainda pode haver mais contágio”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original