Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Em primeiro e-mail a funcionários do Twitter, Musk alerta para “tempos difíceis”

    Bilionário, novo CEO da rede social, também extinguiu o trabalho remoto, na esteira de demitir quase metade do quadro de funcionários

    Tamara Nassifdo CNN Brasil Business

    em São Paulo

    O novo CEO do Twitter, Elon Musk, enviou, na noite da última quarta-feira (9), seu primeiro e-mail aos funcionários desde que assumiu a plataforma de rede social.

    No comunicado, Musk pediu para que a equipe se preparasse para “tempos difíceis a frente” e que não tinha como suavizar as perspectivas econômicas do Twitter, empresa cuja principal fonte de receita é a publicidade digital.

    Recentemente, outras gigantes da tecnologia, como Google e Meta, dona do Facebook, também tiveram as contas baqueadas por queda na demanda por anúncios online, em meio ao aumento da inflação e temores de recessão global.

    Aos funcionários do Twitter, Musk também anunciou o fim do trabalho remoto — a não ser em casos aprovados pessoalmente por ele — e disse esperar que a equipe esteja no escritório por ao menos 40 horas semanais.

    Antes da chegada do bilionário, há duas semanas, o Twitter não só tinha um acordo permanente de permissão ao trabalho remoto, como também tinha instituído um “dia de descanso” remunerado por mês, criado durante a pandemia.

    Musk também extinguiu a folga mensal, em mais um sinal de remodelação da cultura de trabalho da plataforma.

    As novas regras, que já estão em vigor, vêm na esteira de demissões em massa e de propostas de monetizar o uso da rede social. Musk, por exemplo, propôs a criação da assinatura Twitter Blue, que, por US$ 8 por mês, usuários poderão ter a conta verificada com o selo azul da plataforma.

    “O caminho a seguir é árduo e exigirá trabalho intenso para ter sucesso”, escreveu Musk em sua carta aos funcionários. As informações foram primeiro divulgadas pela Bloomberg.