Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Energia fica 54% mais cara à população do Reino Unido a partir desta sexta-feira

    Aumento dobrará o número de famílias inglesas que gastam pelo menos 10% de seus orçamentos totais em contas de energia para 5 milhões

    Londres, Inglaterra, 31 de março de 2022. As contas de energia e combustível estão aumentando no Reino Unido
    Londres, Inglaterra, 31 de março de 2022. As contas de energia e combustível estão aumentando no Reino Unido Hollie Adams/Getty Images

    Anna Coobando CNN Business

    Os britânicos foram atingidos na sexta-feira (1) por um enorme aumento nas contas de energia, agravando a pior crise de custo de vida do país em décadas.

    Cerca de 22 milhões de famílias verão suas contas anuais subirem para cerca de 2 mil euros (US$ 2.626) depois que o regulador de energia do Reino Unido aumentou seu teto de preço em 54% — o maior salto desde que começou a limitar os aumentos de preços em 2017.

    O teto estabelece um limite de preço que os fornecedores podem cobrar por unidade de energia.

    O aumento dobrará o número de famílias inglesas que vivem em “estresse do combustível” — definido como aqueles que gastam pelo menos 10% de seus orçamentos totais em contas de energia — para 5 milhões, de acordo com a Resolution Foundation.

    “Este é o maior choque de preços de energia de que há memória”, disse Adam Scorer, executivo-chefe da National Energy Action, uma instituição de caridade para a pobreza de combustível, em comunicado na quinta-feira (31).

    “Milhões de pessoas serão prejudicadas por níveis adequados de aquecimento e energia. Apesar de toda a antecipação desses aumentos de preços, muitas pessoas com renda mais baixa serão esmagadas pela realidade.”

    As contas dos britânicos já haviam aumentado 12% em outubro passado, a última vez que o teto de preço foi ajustado, depois que uma crise global de oferta de gás natural elevou os preços no atacado para níveis recordes.

    O governo tentou aliviar a dor cortando impostos locais e taxas de combustível, bem como permitindo que muitos consumidores distribuíssem o custo de suas contas nos próximos anos.

    Mas outros aumentos podem estar a caminho em outubro. A invasão da Ucrânia pela Rússia em fevereiro está piorando a situação, elevando ainda mais os preços da energia, disse o Banco da Inglaterra no mês passado.

    As estimativas variam quanto à escala do próximo choque, mas o banco de investimento Investec espera que as contas anuais de energia e gás possam chegar a £ 3.000 (US$ 3.941).

    A Resolution Foundation, um think tank que se concentra nos padrões de vida, estima que o número de famílias inglesas com estresse por combustível pode chegar a 7,5 milhões – quase um terço de todas as famílias — depois de outubro, se as contas anuais subirem para 2,5 mil euros (US$ 3.282) no outono.

    “Outro aumento nas contas de energia neste outono acelera a necessidade de apoio mais imediato”, disse Jonathan Marshall, economista sênior da Resolution Foundation, em comunicado à imprensa.

    Marshall disse que o aumento dos preços exige uma reforma dos “mercados de energia para que as contas de energia das famílias sejam menos dependentes dos preços globais do gás”.

    O Partido Trabalhista, de oposição, reiterou seu pedido de um imposto sobre os lucros extraordinários obtidos por companhias de petróleo como BP e Shell, graças aos ganhos nos preços globais do petróleo.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original