Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Euro é a principal moeda comercializada no Brasil em junho, diz agência

    Segundo levantamento com base no banco de dados da Travelex Confidence, dólar é a segunda moeda mais comprada no Brasil; peso argentino aparece em quinto lugar

    Iuri Corsinida CNN

    Rio de Janeiro

    Em junho, pelo segundo mês consecutivo, a principal moeda comercializada no país foi o euro, segundo a base de dados da Travelex Confidence, uma das principais empresas especializada em câmbio do mundo.

    Esse alta quantidade de operações do euro acompanha o cenário de forte desvalorização frente ao dólar, onde a moeda apresenta a menor paridade dos últimos 20 anos em relação à moeda americana.

    Em seguida, aparecem o dólar americano, a libra esterlina, o dólar canadense e o peso argentino, que chega pela primeira vez entre as cinco mais compradas no país, de acordo com o levantamento.

    Segundo a agência, a moeda argentina apresentou aumento de 49% no total de operações, quando os números são comparados aos de maio. No entanto, apesar do aumento no número de transações, o volume negociado em reais foi 25% menor em relação à média de 2019, como explica André Gaspar, superintendente de varejo da companhia.

    “A entrada do peso argentino no top-5 de junho já era um comportamento esperado, devido ao período de alta temporada em que, naturalmente, vemos um aumento na procura pela moeda por turistas brasileiros. Já a queda no volume é uma consequência natural devido à forte desvalorização do peso argentino frente ao real”, analisa.

    De acordo com um levantamento do Instituto de Pesquisas Econômicas da Bolsa de Comércio de Córdoba, divulgado na semana passada, a nota de mil pesos argentinos possui o menor poder de compra na comparação com as cédulas de maior valor de dez economias da América Latina.

    A Travelex Confidence também levantou os cinco principais países com as maiores operações de transferência para o exterior (outbound) e do exterior para o Brasil (inbound). Essas operações internacionais, ou remessas, podem ser utilizadas para fins como serviços de turismo, manutenção de residente, pagamento de instituições de ensino e pequenas importações.

    Nas remessas outbound, o primeiro lugar é os Estados Unidos, seguido de Portugal, Canadá, Espanha e Itália. Segundo a empresa, o principal destaque é a aparição da Espanha no ranking, que apresentou um crescimento de 43% entre maio e junho deste ano. Em relação ao período pré-pandemia (2019), a alta é de 109%. A explicação para o fenômeno é o crescente número