Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Faz sentido” Petrobras considerar negócios na Venezuela e na Bolívia, diz Prates

    Presidente da estatal defende parceria pelo potencial energético dos dois países

    O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates
    O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates REUTERS/Adriano Machado

    Jorge Barbosa e Italo Bertão Filho, do Estadão Conteúdo

    O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, entende que “faz sentido” a companhia avaliar oportunidades de negócios na Venezuela e na Bolívia.

    Prates defende a avaliação por causa do potencial dos dois países no setor petrolífero, negando que a questão seja influenciada por visões políticas.

    “Faz sentido para a Petrobras voltar a olhar para os países mais ricos em reservas de hidrocarbonetos”, afirmou Prates, durante entrevista no programa Roda Viva, na TV Cultura, na noite da segunda-feira (2).

    Em relação à Venezuela, o executivo afirmou que a deterioração da indústria petroleira local torna o país atrativo para a Petrobras.

    “[O cenário] não é bom para o país, embora seja algo a se olhar, mas não é a Petrobras que vai carregar a Venezuela nas costas”, afirmou Prates.

    Quanto à Bolívia, o presidente da Petrobras destacou a importância de parcerias com o país na área do gás.

    “Nós temos um gasoduto, temos uma ponte ligando a Bolívia, e os regimes contratuais foram se deteriorando a ponto dos investimentos terem caído. Aparentemente, as reservas locais acabaram, mas ainda há reservas de gás no país, importantes para conectar a oferta com São Paulo.”

    Veja também: Lula busca plano para dívida da Venezuela