Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Franquias têm alta de 16,8% no faturamento no segundo trimestre

    Turismo e alimentação lideram entre os segmentos com as maiores altas de receita

    Associação ainda projeta que até o final do ano ocorra um aumento de 5% no quantitativo de empregos gerados pelo setor
    Associação ainda projeta que até o final do ano ocorra um aumento de 5% no quantitativo de empregos gerados pelo setor Tomaz Silva/Agência Brasil

    Thayana AraújoBeatriz Puenteda CNN

    no Rio de Janeiro

    Uma pesquisa divulgada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) mostra que o setor fechou o segundo trimestre do ano com um faturamento 16,8% maior em relação ao mesmo período de 2021.

    A receita passou de R$ 41 bilhões para R$ 48 bilhões.

    Em comparação com abril a junho de 2019, antes da pandemia de Covid-19, o resultado deste ano superou em 11,4% o faturamento nominal.

    Com o desempenho, a entidade projeta um crescimento de 12% neste ano.

    “O forte retorno presencial apoiado pela vacinação e a demanda reprimida foram alavancas importantes, mas o franchising está fazendo sua parte para que o crescimento seja sustentável e consistente”, afirma o presidente da ABF, André Friedheim.

    Todos os 11 segmentos do setor apresentaram crescimento.

    A maior variação foi em hotelaria e turismo, com 25,4% de alta.

    O segmento manteve o ritmo de recuperação devido à retração da pandemia e à retomada das viagens e eventos.

    O segmento de alimentação e foodservice veio em segundo lugar, com receita 22,3% maior frente ao mesmo período no ano passado.

    Segundo a associação, o maior fluxo de consumidores em ambientes físicos, as datas comemorativas, como a Páscoa e o Dia das Mães, e a manutenção do delivery em níveis elevados contribuíram para os resultados positivos.

    Impulsionado pela volta dos eventos sociais, o segmento de saúde, beleza e bem-estar registrou o terceiro melhor desempenho, com uma alta de 20,1%.

    Também se destacaram na pesquisa as atividades de casa e construção (17,4%) e moda (15,8%).

    De acordo com a pesquisa, o setor de franquias somou 1,4 milhão de trabalhadores no segundo trimestre de 2022, ante 1,2 milhão no mesmo período do ano passado, uma alta de 12,5%.

    A associação ainda projeta que até o final do ano ocorra um aumento de 5% no quantitativo de empregos gerados pelo setor.

    “O segundo semestre do ano é tradicionalmente melhor, considerando datas como o Dia dos Pais, que há projeções de uma alta das vendas, a Black Friday e o Natal, e observo também que há um otimismo maior por parte dos empresários. A expectativa é que o setor de franquias brasileiro ultrapasse a barreira de R$ 200 bilhões em faturamento neste ano”, afirma André Friedheim.