Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governo avaliará R$ 80 bilhões em projetos para ferrovias, diz ministro

    Após lançamento do Pró-Trilhos, Ministério da Infraestrutura somou 14 pedidos para construção e operação de ferrovias pela iniciativa privada, o dobro do esperado

    Evandro Furonida CNN

    em São Paulo

    Em apenas 20 dias, o governo federal anunciou ter recebido o dobro de pedidos do que o esperado para construção e operação de ferrovias pela iniciativa privada.

    De acordo com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, eram esperados sete pedidos, que chegaram a 14 nesta quinta-feira (23).

    Ainda de acordo com o ministro, o projeto inicial pretendia arrecadar R$ 30 bilhões em investimentos. Até o momento, são R$ 80 bilhões levantados.

    Os pedidos sobre as ferrovias cresceram após o Planalto ter lançado no começo deste mês o programa Pró-Trilhos, no que o governo tem chamado de “Setembro Ferroviário”.

    O programa foi criado para alavancar as concessões ferroviárias no país pela iniciativa privada por meio da “autorização” do serviço — e não mais exclusivamente via “licitação”.

    Segundo o Ministério da Infraestrutura, serão mais de 5,3 mil quilômetros de trilhos distribuídos pelo Brasil, com projetos nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste.

    Os requerimentos já estão sendo avaliados pelo ministério, responsável final por emitir as autorizações.

    O modelo de parceria será semelhante ao que já existe na exploração de infraestrutura em setores como telecomunicações, energia elétrica, portuário e aeroportuário.

    O governo também aposta no programa Pró-Trilhos como gerador de empregos. “Fico feliz porque pais de família terão emprego, porque isso mexe com toda a cadeia”, afirmou Tarcísio durante o lançamento da MP do Pró-Trilhos no começo do mês.

    Até 2030, o governo espera fazer com que as ferrovias somem 40% da matriz de transporte no Brasil.

    Veja abaixo a lista de projetos de novas ferrovias já em análise:

    • Açailândia/MA – Alcântara/MA: 520 km de extensão, investimento de R$ 6,5 bilhões
    • Água Boa/MT – Lucas do Rio Verde/MT: 557 km de extensão, investimento de R$ 6,4 bilhões
    • Barra de São Francisco/ES – Brasília/DF: 1.108 km de extensão
    • Cascavel/PR – Foz do Iguaçu/PR: 166 km de extensão, investimento de R$ 6,25 bilhões
    • Cascavel/PR – Capecó/SC: 286 km de extensão
    • Estreito/MA – Balsas/MA: 245 km de extensão, investimento de R$ 2,8 bilhões
    • Guarapuava/PR – Paranaguá/PR: 405 km de extensão, investimento de R$ 15,2 bilhões
    • Maracaju/MS – Dourados/MS: 76 km de extensão, investimento de R$ 2,85 bilhões
    • Presidente Kennedy/ES – Conceição do Mato Dentro/Sete Lagoas/MG: 610 km de extensão
    • São Mateus/ES – Ipatinga/MG: 420 km de extensão, investimento de R$ 5 bilhões
    • Shortline entre o município de Perequê/SP e o Terminal Integrador Portuário Luiz Antônio Mesquita (Tiplam), localizado no Porto de Santos: 8 km de extensão e investimento de R$ 100 milhões. A ideia é auxiliar no transporte das cargas que da região produtora de Minas Gerais e Goiás até a exportação no complexo portuário de Santos.
    • Suape/PE – Curral Novo/PI: 717 km de extensão, investimento de R$ 5,7 bilhões
    • Terminal Intermodal em Santo André/SP: 7 km de extensão
    • Uberlândia/MG – Chaveslândia/MG: 235 km de extensão, investimento de R$ 2,7 bilhões. De acordo com o Ministério da Infraestrutura, o empreendimento será voltado ao escoamento de basalto até as regiões produtoras do agronegócio e grãos para exportação, sendo conectado à Ferrovia Centro-Atlântica (FCA).