Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governo leiloa terminais portuários em São Paulo, Pernambuco e no Paraná

    De acordo com Ministério da Infraestrutura, investimento nos terminais de Suape (PE), Paranaguá (PR) e Santos (SP) será de quase R$ 828 milhões ao longo do contrato

    Ana Carolina Nunesdo CNN Brasil Business

    em São Paulo

    A  Agência Nacional de Transportes Aquaviários e o Ministério de Infraestrutura  realizaram nesta quarta-feira (30) o leilão de outros três terminais portuários. O terminal em Paranaguá/PR (PAR32), em Santos (STS11) e em Suape/PE (SUA07). Mais cedo, o governo realizou o leilão da  Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), a primeira privatização de uma companhia docas.

    De acordo com o ministério, o investimento nos três terminais será de quase R$ 828 milhões ao longo do contrato.

    O leilão de um dos terminais do Porto de Santos, o STS11, um dos maiores de granéis sólidos do Brasil, de onde partem exportação de grãos como soja, milho e farelo de soja, bem como de açúcar, foi levado pela Cofco International Brasil, com valor de outorga de R$ 10 milhões por 25 anos.

    O Ministério aponta que estão previstos mais de 10 mil novos empregos e investimentos de cerca de R$ 764,8 milhões para ampliação da capacidade estática do terminal para 490 mil toneladas/ano e a capacidade dinâmica para 14,3 milhões de toneladas por ano. A área também deve ser expandida, passando de 61.976 m² para 87.934 m², incluindo dois berços exclusivos.

    O Consórcio Sua Granéis ficou com o terminal SUA 07, de Suape (SUA07), na cidade de Ipojuca, em Pernambuco, com valor de outorga de R$ 15 mil. O Sua Granéis, que vai operar por 25 anos um terminal multipropósito, que movimenta e armazena granéis vegetais como trigo, milho, açúcar e, especialmente, malte e cevada, além de granéis minerais como coque de petróleo e outras cargas, deverá investir R$ 59,8 milhões na estrutura. Prevê-se a geração de mais de 800 empregos com a concessão.

    O arrendatário deverá realizar melhorias pontuais em termos de infraestrutura. “É um terminal com investimentos de porte médio, então fizemos um projeto de modelagem com objetivo de aumentar sua capacidade”, disse o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni.

    A FTS Participações ficou com o terminal PAR32 de Paranaguá, no Paraná, pelo valor de outorga de R$ 30 milhões. O valor contratado foi de R$ 4,17 milhões para ser investido ao longo de 10 anos.

    O terminal é dedicado à movimentação de carga geral, em especial açúcar ensacado, produto que o Brasil é líder mundial de produção e exportação. Segundo o Ministério, a carga segue do Porto de Paranaguá para países que não possuem refinarias ou cujos portos não possuem instalações modernas para recebimento de navios porta-contêineres.

    “Ano passado, o setor portuário brasileiro movimentou mais de um bilhão de toneladas. É um dos maiores do mundo”, destacou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas. Desde 2019, foram 37 arrendamento portuários e 108 contratos de adesão de terminais portuários.

    Codesa

    O fundo de investimentos Shelf 119 Multiestratégia, da gestora Quadra Capital, arrematou, nesta quarta-feira (30), a Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa) e será o responsável pela gestão da administradora de portos pelos próximos 35 anos.

    Trata-se da primeira desestatização feita no país de uma companhia docas, que são as autoridades portuárias, ligadas ao governo federal, responsáveis por gerir os portos existentes em cada estado.

    Porto de Santos

    Após a conclusão do leilão da Codesa, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou que o governo já tem projetos engatilhados para passar outros três portos do país à iniciativa privada ainda neste ano.

    Entre eles, está a aguardada privatização do Porto de Santos, o maior do Brasil e da América Latina, além dos portos de São Sebastião (SP) e de Itajaí (SC).