Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Não despachei com Lula sobre isenção de combustíveis ainda, diz Haddad

    "Ele (Lula) vai ficar a par. Havia uma especulação em torno de uma possível MP (Medida Provisória) do atual governo. A gente soube, foi checar junto ao Ministério da Economia e vou levar pra ele para dar as orientações", afirmou o futuro ministro da Fazenda

    Fernando Haddad será ministro da Fazenda do governo Lula 3
    Fernando Haddad será ministro da Fazenda do governo Lula 3 BRUNO ESCOLASTICO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

    Célia Froufe, Marlla Sabino e Amanda Pupo, do Estadão Conteúdo

    Fernando Haddad, futuro ministro da Fazenda do governo Lula, garantiu nesta terça-feira (27) que o martelo sobre o que o novo governo pretende fazer sobre a taxação dos combustíveis ainda não foi batido. Desde cedo, circulam informações de que a isenção determinada pelo governo de Jair Bolsonaro seria mantida por pelo menos 30 dias.

    “Não despachei esse assunto com o presidente Lula ainda. Devo fazer isso entre hoje e amanhã. Então, nós vamos ter novidades entre hoje e amanhã”, disse a jornalistas um pouco antes de sair do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) para se encontrar com o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva.

    O assunto de hoje, porém, deve ser em torno da escolha da senadora Simone Tebet para comandar a Pasta do Planejamento. “Não há ainda uma solução, uma decisão tomada a esse respeito”, garantiu.

    Questionado sobre se a medida dos combustíveis poderia continuar valendo por mais um mês, Haddad afirmou que não há tendência porque ainda não despachou com o presidente. “Ele vai ficar a par. Havia uma especulação em torno de uma possível MP (Medida Provisória) do atual governo. A gente soube, foi checar junto ao Ministério da Economia e vou levar pra ele para dar as orientações.”

    O futuro ministro admitiu que houve um entendimento entre a atual e a futura equipe econômica sobre o “estado da arte” dos combustíveis, mas que qualquer decisão precisaria ser levada para a consideração do presidente. “Falamos com a equipe dele do Paulo Guedes. Não há uma definição ainda. Falei com a equipe do Guedes, ele não está em Brasília, o Gabriel (o indicado para a secretaria-executiva, Gabriel Galípolo) também entrou em contato e vou levar para o presidente Lula os cenários que a equipe atual está colocando para ele, em nome do governo eleito, endereçar o que ele considera a melhor solução”, reforçou.