Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Inflação pressiona custo de vida no mundo; veja as cidades mais caras em 2021

    Nesse cenário, uma cidade tem passado por mudanças mais rápidas do que a maioria, saltando do quinto lugar para o primeiro

    Maureen O'Hareda CNN

    Não tem sido um ano fácil para o bolso das pessoas ao redor do mundo.

    Os bloqueios da cadeia de suprimentos e as mudanças na demanda do consumidor aumentaram o custo de vida em muitas de nossas maiores cidades, de acordo com uma nova pesquisa publicada na quarta-feira, e a inflação é a maior registrada nos últimos cinco anos.

    Nesse cenário, uma cidade tem passado por mudanças mais rápidas do que a maioria, saltando do quinto lugar para o primeiro no Índice Mundial de Custo de Vida deste ano, divulgado pela Economist Intelligence Unit (EIU).

    A cidade israelense de Tel Aviv liderou o ranking pela primeira vez, ultrapassando a líder do ano passado, Paris, que agora está empatada em segundo lugar com Singapura.

    A EIU atribui a forte alta de Tel Aviv no índice aos aumentos nos preços de alimentos e transporte e à força do shekel israelense em relação ao dólar americano.

    Bens e serviços do dia a dia

    O índice de custo de vida mundial 2021 rastreia o custo de vida em 173 cidades globais – 40 a mais que no ano passado – e compara o preço de mais de 200 produtos e serviços de uso diário.

    Os dados da pesquisa, realizada há mais de três décadas, são coletados pela equipe global de pesquisadores da EIU a cada março e setembro.

    O índice é comparado com os preços da cidade de Nova York, portanto, as cidades com moedas mais fortes em relação ao dólar dos EUA provavelmente aparecerão em posições mais altas nas classificações.

    Zurique e Hong Kong ocupam os quatro e cinco lugares, respectivamente, tendo ocupado o primeiro lugar no ano passado ao lado de Paris. Nova York, Genebra, Copenhague, Los Angeles e Osaka completam o restante dos 10 primeiros.

    As classificações superiores continuam a ser dominadas por cidades asiáticas europeias e desenvolvidas. As cidades com classificação mais baixa estão principalmente no Oriente Médio, África e partes menos ricas da Ásia.

    Problemas pandêmicos

    A EIU informa que, em média, os preços dos bens e serviços abrangidos pelo índice aumentaram 3,5% ano a ano em termos de moeda local, em comparação com um aumento de apenas 1,9% no ano passado.

    Os tão relatados problemas da cadeia de abastecimento global contribuíram para aumentos de preços e a pandemia de Covid-19 e as restrições sociais ainda afetam a produção e o comércio em todo o mundo. Com uma nova variante do coronavírus atualmente causando alarme generalizado, esses problemas não vão desaparecer tão rapidamente.

    O aumento dos preços do petróleo levou a um aumento de 21% no preço da gasolina sem chumbo, relata a EIU, mas também houve grandes aumentos de preços nas categorias de recreação, tabaco e cuidados pessoais.

    A cidade que mais cresceu em 2021 foi a cidade iraniana de Teerã, que saltou 50 lugares do 79º para o 29º lugar quando as sanções dos EUA resultaram em escassez e preços mais altos.

    A cidade síria de Damasco, mais uma vez, é considerada a cidade mais barata do mundo, pois sua economia devastada pela guerra continua em dificuldades. Damasco e Teerã sofreram com uma inflação muito alta em 2021, assim como Caracas, na Venezuela e Buenos Aires, na Argentina.

    Mais por vir

    Upasana Dutt, chefe do Custo de Vida Mundial da EIU, disse em um comunicado: “Embora a maioria das economias em todo o mundo esteja agora se recuperando com o lançamento das vacinas contra Covid-19, muitas cidades importantes ainda estão tendo picos de casos, levando a restrições sociais. Isso interrompeu o fornecimento de bens, levando à escassez e preços mais altos”.

    “Podemos ver claramente o impacto no índice deste ano, com a alta do preço da gasolina particularmente acentuada. Mas nem todas as cidades viram aumentos de preços. Muitas das cidades que se encontram no final de nossas classificações viram os preços estagnar ou mesmo cair, em parte porque suas moedas se desvalorizaram em relação ao dólar americano”, diz.

    “No próximo ano, esperamos ver o custo de vida aumentar ainda mais em muitas cidades, à medida que os salários aumentam em muitos setores. No entanto, também esperamos que os bancos centrais aumentem as taxas de juros, com cautela, para conter a inflação. Portanto, os aumentos de preços devem começar a moderar em relação ao nível deste ano.”

    Veja a lista de cidades mais caras do mundo para se viver em 2021:

    1. Tel Aviv, Israel
    2. (empate) Paris, França
    2. (empate) Singapura
    4. Zurique, Suíça
    5. Hong Kong
    6. Cidade de Nova York, Nova York
    7. Genebra, Suíça
    8. Copenhage, Dinamarca
    9. Los Angeles, Califórnia
    10. Osaka, Japão
    11. Oslo, Noruega
    12. Seul, Coreia do Sul
    13. Tóquio, Japão
    14. (empate) Viena, Áustria
    14. (empate) Sydney, Austrália
    16. Melbourne, Austrália
    17. (empate) Helsinque, Finlândia
    17. (empate) Londres, Reino Unido
    19. (empate) Dublin, Irlanda
    19. (empate) Frankfurt, Alemanha
    19. (empate) Xangai, China

    (Texto traduzido. Clique aqui para ler o original, em inglês)

    Tópicos

    Tópicos