Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Inter vê queda do PIB no 3º tri e reduz projeção de crescimento no ano para 2,7%

    Projeção para o IPCA em 2023 passou de 4,7% para 4,6%; expectativa para a Selic se mantém em 11,75%

    Sede do Banco Inter, em Belo Horizonte
    Sede do Banco Inter, em Belo Horizonte Foto: Banco Inter/Divulgação

    Da CNN*

    São Paulo

    Em relatório publicado nesta quinta-feira (23), o Inter projeta que o Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre terá queda de 0,3%, ante alta de 0,9% entre abril e junho. Com isso, a previsão de crescimento para o ano foi levemente reduzida de 2,8% para 2,7%.

    Para 2024, o banco manteve a expectativa de crescimento de 1,5%. A instituição vê cenário externo desafiador, com menor demanda global, tanto na China quanto em países desenvolvidos.

    A estimativa para a inflação também foi reduzida. Agora, o Inter prevê que o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) em 2023 será de 4,7%. Antes, a expetativa apontava alta de 4,6%.

    Para 2024, a projeção é de 3,7%.

    “A inflação segue surpreendendo para baixo no curto prazo, com desaceleração maior em serviços. A manutenção da expectativa em 2024 leva em conta a recuperação de preços de alimentos e monitorados”, diz o levantamento.

    As expectativas foram mantidas para a taxa Selic. A equipe do Inter vê novos cortes de 0,50 ponto percentual (p.p.) nas próximas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), encerrando o ano a 11,75%.

    A desaceleração da inflação e o cenário externo com alguma melhora nos juros nos EUA, segundo o banco, devem dar suporte ao ritmo de cortes, levando os juros ao patamar de 9% ao fim de 2024.

    A divulgação ainda destaca nova deterioração do resultado fiscal, com a queda da arrecadação — puxada pela desaceleração do PIB e manutenção do crescimento de gastos.

    As projeções de déficit em 2023 foram revisadas de 1% para 1,4%. Para 2024, de 0,8% para 1%.

    Veja também: Governo sobe previsão de rombo nas contas públicas para 2023

    *Publicado por Danilo Moliterno.