Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Investimentos diretos no Brasil somam US$ 4,5 bilhões em maio, diz BC

    Número é 104% maior que o registrado no mesmo mês de 2021, de US$ 2,2 bilhões; resultado veio acima da expectativa mediana do mercado, de USS 3,5 bilhões

    Investimentos diretos no Brasil somam US$ 4,5 bilhões em maio
    Investimentos diretos no Brasil somam US$ 4,5 bilhões em maio Getty Images

    Elis Barretoda CNNLigia Tuondo CNN Business

    Brasília e São Paulo

    Os ingressos líquidos em investimentos diretos no país (IDP) somaram US$ 4,5 bilhões em maio, informou o Banco Central nesta sexta-feira (26). O número fica acima da expectativa mediana do mercado, de US$ 3,5 bilhões.

    O número é 104% maior que o registrado no mesmo mês de 2021, de US$ 2,2 bilhões.

    O resultado do mês vem de ingressos líquidos de US$ 6,2 bilhões em participação no capital e saídas líquidas de US$ 1,8 bilhão em operações intercompanhia.

    Nos doze meses encerrados em maio de 2022, o IDP totalizou US$ 60 bilhões (3,45% do PIB), ante US$ 57,8 bilhões (3,38% do PIB) no mês anterior e US$ 47,3 bilhões (3,22% do PIB) em maio de 2021.

    A divulgação referente a maio estava marcada originalmente para o fim de junho, mas foi adiada, assim como a divulgação de outras estatísticas, por conta da greve de servidores do BC, apesar de a paralisação já ter acabado.

    Déficit em transações correntes

    O déficit em transações correntes do Brasil em maio foi de US$ 3,5 bilhões, com o déficit acumulado em 12 meses totalizando o equivalente a 1,89% do Produto Interno Bruto (PIB).

    Reservas internacionais

    As reservas internacionais somaram US$ 346,4 bilhões, uma alta de US$ 1,3 bilhão na comparação com o mês anterior. O aumento de preços internacionais fizeram as reservas crescerem US$ 463 milhões, e a alta de juros globalmente elevou o estoque em US$ 501 milhões.

    Viagens ao exterior

    Segundo os dados do Banco Central, os brasileiros gastaram cerca de US$ 1,09 bilhão no exterior, enquanto os gastos estrangeiros no Brasil foram de US$ 373 milhões, em maio deste. Isso gerou um deficit de US$ 718 milhões, entre despesas e receitas, nos gastos com viagens.