Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Maior editora de jornais dos EUA processa Google por monopólio de anúncios online

    Gannett argumenta em documentos judiciais que o Google e sua controladora, a Alphabet, controlam como os editores compram e vendem anúncios online

    Google controla cerca de um quarto do mercado de publicidade digital dos EUA, com Meta, Amazon e TikTok combinados para outro terço
    Google controla cerca de um quarto do mercado de publicidade digital dos EUA, com Meta, Amazon e TikTok combinados para outro terço 17/11/2021REUTERS/Andrew Kelly

    Catherine Thorbeckeda CNN

    A Gannett, a maior editora de jornais dos Estados Unidos, está processando o Google, alegando que a gigante da tecnologia detém o monopólio do mercado de anúncios digitais.  

    A editora do jornal norte-americano “USA Today” e mais de 200 publicações locais entraram com a ação em um tribunal federal de Nova York nesta terça-feira (20) e estão pedindo indenização não especificada. Gannett argumenta em documentos judiciais que o Google e sua controladora, a Alphabet, controlam como os editores compram e vendem anúncios online.

    “O resultado é uma receita drasticamente menor para editores e rivais de tecnologia de anúncios do Google, enquanto o Google desfruta de lucros exorbitantes de monopólio”, afirma o processo. 

    O Google controla cerca de um quarto do mercado de publicidade digital dos EUA, com Meta, Amazon e TikTok combinados para outro terço, de acordo com a eMarketer. Os editores de notícias e outros sites combinam os outros cerca de 40%.

    A participação da Big Tech no mercado está começando a diminuir ligeiramente, mas o Google continua sendo de longe o maior player individual.

    Isso significa que os editores geralmente dependem, pelo menos em parte, da tecnologia de publicidade do Google para dar suporte às suas operações: Gannett diz que o Google controla 90% do mercado de anúncios para editores.

    Michael Reed, presidente e CEO da Gannett, disse em um comunicado na terça-feira que o domínio do Google na indústria de publicidade online ocorreu “às custas de editores, leitores e todos os outros”.

    “A publicidade digital é a força vital da economia online”, acrescentou Reed. “Sem competição livre e justa por espaço publicitário digital, os editores não podem investir em suas redações.”

    Dan Taylor, vice-presidente de anúncios globais do Google, disse à CNN que as alegações no processo “estão simplesmente erradas”.

    “Os editores têm muitas opções para escolher quando se trata de usar a tecnologia de publicidade para monetizar – na verdade, a Gannett usa dezenas de serviços de anúncios concorrentes, incluindo o Google Ad Manager”, disse Taylor em um comunicado na terça-feira. “E quando os editores optam por usar as ferramentas do Google, eles ficam com a grande maioria da receita.”

    Ele continuou: “Mostraremos ao tribunal como nossos produtos de publicidade beneficiam os editores e os ajudam a financiar seu conteúdo on-line”.

    A ação legal da Gannett ocorre enquanto o Google enfrenta um número crescente de reclamações antitruste nos Estados Unidos e na União Europeia (UE) sobre seu negócio de publicidade, que continua sendo seu principal gerador de dinheiro.

    Autoridades da UE disseram na semana passada que o negócio de publicidade do Google deveria ser desmembrado, alegando que o envolvimento da gigante da tecnologia em várias partes da cadeia de fornecimento de publicidade digital cria “conflitos de interesse inerentes” que correm o risco de prejudicar a concorrência. 

    No início deste ano, o Departamento de Justiça e oito estados processaram o Google, acusando a empresa de prejudicar a concorrência com seu domínio no mercado de publicidade online e, da mesma forma, pedindo seu desmembramento.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original