Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Mais de 300 mil motoristas se inscreveram para receber auxílio-taxista, diz ministério

    Motoristas cadastrados e aprovados nessa primeira etapa receberão as duas primeiras parcelas, de até R$ 1 mil cada, no dia 16 de agosto

    Auxílio-taxista foi instituído pela PEC dos Benefícios, que decretou estado de emergência no País e elevou as despesas do governo em R$ 41,25 bilhões fora do teto de gastos
    Auxílio-taxista foi instituído pela PEC dos Benefícios, que decretou estado de emergência no País e elevou as despesas do governo em R$ 41,25 bilhões fora do teto de gastos Fernando Frazão/Agência Brasil

    Redação, O Estado de S. Paulo, do Estadão Conteúdo

    Segundo o Ministério do Trabalho e Previdência, até a última terça-feira (2), foram cadastrados 301.505 motoristas para receber, até o fim do ano, o auxílio-taxista.

    O ministério pondera que só o envio das informações não é garantia de pagamento do benefício, e que os dados serão analisados pela Dataprev para identificação dos profissionais elegíveis.

    Os motoristas cadastrados e aprovados nessa primeira etapa (o prazo de envio pelas prefeituras terminava na própria terça) receberão as duas primeiras parcelas, de até R$ 1 mil cada, no dia 16 de agosto.

    O número de parcelas e o valor poderão ser ajustados a depender do número de trabalhadores aprovados e do limite de recursos para o programa, que é de R$ 2 bilhões.

    O auxílio-taxista foi instituído pela PEC dos Benefícios, que decretou estado de emergência no País e elevou as despesas do governo em R$ 41,25 bilhões fora do teto de gastos – e é vista como uma das apostas do governo para aumentar a popularidade do presidente Jair Bolsonaro, candidato à reeleição.

    O governo também publicou portaria que regulamenta o pagamento de benefício emergencial a caminhoneiros. De acordo com a portaria, os pagamentos começam no próximo dia 9.

    Serão seis parcelas mensais, no valor individual de R$ 1 mil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.