Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Melhora na percepção da inflação se dá pela queda nos combustíveis, diz economista

    Especialista avaliou a redução da projeção de inflação para 2022, divulgada pelo Boletim Focus do Banco Central

    Vinícius Tadeuda CNN

    em São Paulo

    Em entrevista à CNN, nesta segunda-feira (1º), o economista-chefe da Órama, Alexandre Espírito Santo, afirmou que a mudança nas projeções de inflação para o Brasil em 2022 ocorre por conta da queda no preço dos combustíveis.

    “Tivemos uma melhora na percepção de inflação desse ano de 2022, muito por conta do efeito da queda [nos preços] dos combustíveis, isso tem um impacto muito grande sobre o índice”, afirmou.

    Nesta segunda-feira, o mercado financeiro reduziu a projeção de inflação para 2022, passando de 7,3% para 7,15%. As estimativas foram divulgadas através do Boletim Focus do Banco Central (BC).

    O documento reúne a estimativa de mais de 100 instituições do mercado financeiro para os principais indicadores econômicos.

    O economista, no entanto, alerta que, mesmo com a redução, as expectativas ainda estão distantes do centro da meta estabelecida pelo BC.

    “Temos muitas razões, a inflação está elevada no mundo todo, não é apenas no Brasil. Porém, o BC tem uma meta de inflação e é isso que ele tem que nos entregar e ele tem trabalhado para isso subindo a taxa de juros e, provavelmente, fará isso novamente nesta quarta-feira”.

    De acordo com o Boletim Focus, o cenário esperado pelo mercado para 2023 é de avanço de 5,30% para 5,33% para a inflação. Sendo essa a 17ª alta semanal consecutiva na mediana das previsões para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

    Veja mais no vídeo acima.