Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Mercado tem “confirmado” projeções da Fazenda, diz secretário de Política Econômica

    No boletim Focus desta segunda-feira (18), os analistas ouvidos pelo Banco Central (BC) elevaram a estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB) do país de 2,64% para 2,89% para este ano

    Fachada do prédio do Ministério da Fazenda em Brasília
    Fachada do prédio do Ministério da Fazenda em Brasília 14/02/2023 REUTERS/Adriano Machado

    Cristiane Nobertoda CNN

    Brasília

    O secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Guilherme Mello, disse que as projeções do mercado para a economia brasileira têm “confirmado” as previsões feitas pela pasta quanto ao crescimento da economia do país.

    No boletim Focus desta segunda-feira (18), os analistas ouvidos pelo Banco Central (BC) elevaram a estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB) do país de 2,64% para 2,89% para este ano.

    Já o boletim macrofiscal, divulgado pela Fazenda também nesta segunda, revisou a previsão de crescimento da economia de 2,5% para 3,2% em 2023.

    Sobre a projeção para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ao final deste ano, o mercado estima fechar em 4,86%. A Fazenda manteve a previsão de 4,85%.

    “O conjunto de projeções do mercado, como é o caso do Focus, tem tido um comportamento bastante benigno com relação à dinâmica da economia brasileira e tem tido um comportamento que tem confirmado, de certa forma, as previsões que temos feito aqui na SPE”, afirmou Guilherme Mello em coletiva de imprensa.

    O secretário ainda destacou que os juros “mais amigáveis” atraem investimentos para o Brasil.

    “A queda da curva de juros é um fenômeno bastante importante, em especial variáveis como o investimento. É uma variável ainda bastante reprimida na economia brasileira, mas ganha mais impulsos, especialmente nos juros de médio e longo prazo mais amigáveis, mais razoáveis, para a decisão de investir”, disse.

    Nesta semana, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC se reúne na terça-feira (19) e quarta-feira (20) para nova decisão sobre a Selic.

    A expectativa é que o Comitê decida pelo corte de 0,5 ponto percentual na taxa, hoje em 13,25% ao ano.

    Veja também: Ibovespa opera em baixa com decisão de juros no radar; dólar cai