Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ibovespa encerra quase estável em dia volátil; dólar fecha com leve valorização, a R$ 5,31

    Principal índice da B3 teve variação negativa de 0,01%, mas chegou a subir 1,67% no dia, enquanto moeda norte-americana teve ganhos de 0,11%

    Do CNN Brasil Business*

    O Ibovespa fechou rondando a estabilidade nesta quinta-feira (15), em mais um dia de volatilidade, com forte queda nas bolsas de Wall Street e com a cena local marcada por dificuldades na tramitação das alterações na Lei das Estatais e da PEC do Estouro no Congresso, além de declarações de autoridades do Banco Central.

    O principal índice da bolsa brasileira registrou variação negativa de 0,01%, aos 103.737,69 pontos. Na mínima, o índice caiu 0,71%, a 103.014,26 pontos, e na máxima subiu 1,67%, a 105.482,72 pontos.

    O Ibovespa abriu em queda, mas reverteu o movimento e chegou a subir mais de 1%, antes de se reaproximar da estabilidade. Na abertura da sessão, agentes financeiros citaram rumores de que as mudanças na Lei das Estatais encontravam dificuldades no Senado.

    O dólar encerrou com valorização de 0,11%, cotado a R$ 5,315, após sessão de grande amplitude e volatilidade em meio a aparentes entraves na tramitação da PEC do Estouro, enquanto investidores continuavam repercutindo sinais mistos do comunicado de política monetária do Federal Reserve.

    A moda norte-americana oscilou entre R$ 5,349 (+0,75%) e R$ 5,2814  (-0,53%) ao longo do pregão.

    Mudanças na Lei das Estatais aprovadas nesta semana na Câmara dos Deputados, após a indicação de Aloizio Mercadante para chefiar o BNDES no governo de Luiz Inácio Lula de Silva (PT), pressionam os ativos locais desde terça-feira.

    Para Pedro Paulo Silveira, diretor de gestão de recursos na Nova Futura, apesar da reação positiva, o movimento “não muda em nada” a sinalização do governo eleito de que “a governança das empresas não atenderá aos acionistas”.

    Os agentes financeiros também seguiam atentos a declarações do presidente do BC, Roberto Campos Neto, e do diretor de política econômica da instituição, Diogo Guillen, após a divulgação pela manhã do Relatório Trimestral de Inflação.

    Em meio às negociações da PEC do Estouro, Campos Neto disse que o BC vem alertado sobre a importância da coordenação entre políticas fiscal e monetária e que essa é a melhor forma de se criar um ambiente futuro para queda de juros.

    No exterior, as projeções de juros altos por mais tempo dadas pelo Federal Reserve (Fed) na véspera pesavam na confiança dos investidores.

    Pela manhã, o banco central da zona do euro desacelerou a alta dos juros, mas prometeu manter o combate à inflação. O órgão também disse que começará a reduzir a carteira de títulos em março. O Banco da Inglaterra também elevou o juro nesta quinta-feira.

    *Publicado por Ana Carolina Nunes, com informações de Reuters