Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dólar fecha no menor patamar em um ano após Copom e Fomc; Ibovespa cai

    Mercado acionário teve correções e dólar perdeu força após a "super quarta"

    Foto: CNN

    Tamires Vitorio e Leonardo Guimarães, do CNN Brasil Business, em São Paulo

    O dólar perdeu valor ante o real nesta quinta-feira (17) e fechou no menor patamar em pouco mais de um ano. A divisa recuou 0,62%, para R$ 5,0251. É o menor valor de fechamento desde 10 de junho do ano passado, quando a moeda era negociada a R$ 4,9398. 

    Com sinalização de aperto monetário no Brasil e nos Estados Unidos, o mercado acionário aproveitou o pregão de hoje para fazer algumas correções. Com isto, o Ibovespa caiu 0,93%, para 128.057 pontos. 

    Os investidores repercutem ainda a sinalização do Fed de que pode começar a elevar os juros a um ritmo mais rápido do que o esperado e, no Brasil, a elevação da taxa Selic para 4,25% ao ano.

    Ações pesadas como PETR4 (Petrobras) e VALE3 (Vale) puxaram a queda do índice ao recuar 3,47% e 2,08%, respectivamente. 

    Em encontro com empresários no Rio de Janeiro, o presidente Jair Bolsonaro voltou a mencionar que o Bolsa Família deve ser reajustado em cerca de 50%, passando de cerca de R$ 190 para R$ 300.

    Lá fora 

    As ações europeias fecharam em leve queda nesta quinta-feira, com os sinais “hawkish” do Federal Reserve levantando preocupações sobre o aperto precoce da política monetária, com maior queda nos papéis de mineração já que os preços das commodities recuaram.

    O índice FTSEurofirst 300 caiu 0,05%, a 1.773 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 0,12%, a 459 pontos, quebrando uma sequência de nove dias de alta, depois de o Fed dizer que poderá começar a aumentar os juros um ano mais cedo do que o esperado.

    As ações de mineração tiveram o pior desempenho, despencando 2,5% com as declarações do banco central dos Estados Unidos elevando o dólar e diminuindo os preços das commodities. As ações do setor de serviços públicos e do setor químico também ficaram entre as maiores quedas.

    *Com Reuters