Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ibovespa fecha em alta de 2%; dólar recua 1,8%, a R$ 5,35

    Mercado repercutiu tom apaziguador de novo governo, com acenos à manutenção de reformas e outras medidas de gestões anteriores

    Ambiente político silenciou um pouco depois que Lula e o ministro da Casa Civil, Rui Costa, determinaram que os ministros parem de falar sobre tudo, o tempo todo
    Ambiente político silenciou um pouco depois que Lula e o ministro da Casa Civil, Rui Costa, determinaram que os ministros parem de falar sobre tudo, o tempo todo Foto: NurPhoto/Getty Images

    da Reuters

    O Ibovespa fechou em alta de 2,19% nesta quinta-feira (5), aos 107.641,32 pontos, no segundo pregão seguido no azul, em meio a ajustes apoiados no tom mais apaziguador de discursos recentes do novo governo, com as ações da Petrobras avançando mais de 3% e respondendo por um apoio relevante no dia.

    As ações PN registraram alta de 3,6% e as ON de 3,2%. O campo positivo foi liderado pela Americanas ON, com 11% de valorização no dia, seguida por Azul (9,38%) e Locaweb ON (9,18%).

    Já o dólar fechou em forte queda nesta quinta-feira (5) na contramão do exterior, conforme investidores continuaram ajustando posições na esteira de disparada da moeda no início da semana, reverberando ainda acenos do novo governo à manutenção de reformas e outras medidas de gestões anteriores.

    A moeda norte-americana recuou 1,81%, cotada a R$ 5,352, na maior desvalorização percentual diária desde 20 de dezembro (-1,97%).

    Na véspera, a divisa norte-americana à vista fechou com variação negativa de 0,04%, a R$ 5,451 na venda.

    O ambiente político silenciou um pouco depois que Lula e o ministro da Casa Civil, Rui Costa, determinaram que os ministros parem de falar sobre tudo, o tempo todo.

    Outro fator importante veio de Jean Paul Prates, que afirmou que vai continuar seguindo os preços internacionais na Petrobras e assegurou que a estatal não sofrerá intervenções diretas do governo,

    O Banco Central fez neste pregão leilão de até 16 mil contratos de swap cambial tradicional para fins de rolagem do vencimento de 1° de fevereiro de 2023.