Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Motociclista morre no Canadá após ser atingido por veículo Tesla no piloto automático

    Carro elétrico no modo "autopilot" colidiu com a traseira da motocicleta

    Tesla enfrentou uma variedade de ações judiciais e investigações regulatórias por acidentes relacionados ao seu recurso de piloto automático
    Tesla enfrentou uma variedade de ações judiciais e investigações regulatórias por acidentes relacionados ao seu recurso de piloto automático Tesla/Divulgação

    Chris Boyetteda CNN

    Um motociclista foi morto no último domingo (24) na Interestadual 15 em Utah, no Canadá, quando um Tesla colidiu com a traseira da motocicleta, de acordo com a Polícia Estadual local.

    O motorista do Tesla notificou a polícia de que o veículo estava no piloto automático.

    “O motorista do Tesla não viu o motociclista e colidiu com a traseira da motocicleta, jogando o motorista para fora da motocicleta”, diz um comunicado.

    A CNN Internacional entrou em contato com a Tesla para comentar.

    A Tesla enfrentou uma variedade de ações judiciais e investigações regulatórias por acidentes relacionados ao seu recurso de piloto automático.

    Uma decisão recente contra a Tesla

    Na semana passada, um júri da Flórida considerou a fabricante de carros elétricos Tesla Inc. 1% negligente na morte de um homem de 18 anos cujo sedã Model S colidiu com um muro de concreto depois que o limitador de velocidade foi desativado.

    Além disso, o júri considerou o jovem falecido e seu pai 99% culpados.

    O veredicto de segunda-feira de um júri federal de Fort Lauderdale veio no que os advogados de James e Jenny Riley, cujo filho Barrett morreu no acidente, chamaram o primeiro julgamento contra Tesla por um acidente envolvendo seus veículos.

    Barrett Riley estava dirigindo a 187 km/h, em uma curva com limite de velocidade de 40 km/h, em 8 de maio de 2018, quando perdeu o controle de seu Model S 2014 enquanto tentava ultrapassar outro veículo, causando um incêndio.

    Outro passageiro também foi morto enquanto um terceiro ocupante sobreviveu.

    O júri considerou a Tesla 1% negligente; para Barrett Riley, 90% negligente; a James Riley, 9% negligente, e Jenny Riley não negligente na morte de Barrett Riley.

    A Tesla, liderada pelo empresário bilionário Elon Musk, disse que a imprudência de Barrett Riley causou o acidente e que seus pais deveriam ter tirado as chaves do carro dele depois que ele recebeu uma multa por excesso de velocidade em março de 2018 por dirigir a 180 km/h.

    Este conteúdo foi criado originalmente em espanhol.

    versão original