Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Nos EUA, setor de restaurantes pode nunca se recuperar da Covid, diz associação

    Apenas um em cada quatro operadores de restaurantes acredita que seu estabelecimento será mais lucrativo este ano do que no último

    A demanda reprimida dos consumidores ajudará em 2022 --há previsões que as vendas continuarão a aumentar, atingindo US$ 898 bilhões
    A demanda reprimida dos consumidores ajudará em 2022 --há previsões que as vendas continuarão a aumentar, atingindo US$ 898 bilhões Michael Browning/ Unsplash

    Vanessa Yurkevichdo CNN Business

    A indústria de restaurantes provavelmente nunca retornará ao seu estado pré-pandêmico, de acordo com a National Restaurant Association (Associação Nacional de Restaurantes dos Estados Unidos).

    O grupo comercial diz que 2022 será um “novo normal” para o setor, que luta para se recuperar e a concorrência por trabalhadores continua intensa, de acordo com o relatório 2022 State of the Restaurant Industry da associação, divulgado na terça-feira (1).

    “Restaurantes e seus clientes se encontraram em um ‘novo normal’. Dada a tecnologia emergente, a mudança no comportamento do consumidor e as preferências gastronômicas e os desafios extraordinários dos últimos dois anos, é improvável que o setor retorne completamente ao seu estado pré-pandêmico”, disse Hudson Riehle, vice-presidente sênior do Grupo de Pesquisa e Conhecimento na Associação Nacional de Restaurantes.

    A demanda reprimida dos consumidores ajudará em 2022 –o grupo prevê que as vendas continuarão a aumentar, com vendas este ano de US$ 898 bilhões, acima dos US$ 864 bilhões em 2019.

    No entanto, apenas um em cada quatro operadores de restaurantes acredita que seu estabelecimento será mais lucrativo este ano do que no último.

    Recrutamento e retenção são os principais problemas. Sete em cada 10 operadores de restaurantes dizem que não têm funcionários suficientes e cerca de 50% observam que será um grande desafio este ano.

    Um retorno completo ao emprego não é esperado em 2022 e a competição por funcionários permanecerá “intensa”. O grupo estima que o emprego total na indústria chegará a 14,9 milhões de empregos.

    Isso representa um aumento de apenas 400.000 em relação a 2021, pois as vagas de emprego permanecem altas –e ainda um milhão de empregos a menos do que os níveis pré-pandemia.

    Apenas cinco estados –Idaho, Montana, Dakota do Norte, Utah e Arizona– têm o mesmo número de funcionários de restaurantes que tinham antes da pandemia.

    Em dezembro, a taxa de desistência no setor de hospedagem e alimentação, que inclui restaurantes, foi de 10,2%, segundo dados com ajuste sazonal divulgados esta semana pelo Bureau of Labor Statistics.

    Segue-se meses de taxas de desistência igualmente altas na indústria.

    Alguns operadores de restaurantes estão recorrendo à tecnologia para aliviar a escassez de pessoal. Trinta e oito por cento dos adultos dizem que ficariam bem com um robô entregando sua refeição em um restaurante este ano.

    As cozinhas fantasmas – cozinhas externas somente para restaurantes – continuam sendo uma pequena parte do cenário, mas 50% dos operadores de serviços rápidos esperam que cresça em 2022.

    O emprego é apenas um dos problemas enfrentados pelos restaurantes. Noventa por cento dos operadores de restaurantes dizem que os custos crescentes provavelmente continuarão até 2022, e 96% dos operadores não acreditam que os problemas da cadeia de suprimentos serão corrigidos este ano.

    Trabalhar em casa mudou o jogo para a indústria de restaurantes. Cinquenta e quatro por cento dos funcionários que trabalham em casa dizem que saem para jantar com menos frequência do que antes da pandemia, enquanto 47% dos funcionários do WFH dizem o mesmo sobre o almoço, segundo o relatório.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original