Opep vê risco à oferta de petróleo, mas diz que fornecimento segue confiável

Durante coletiva, o secretário da organização comentou sobre o risco da oferta e as ações que a Opep tem realizado

Preço do petróleo alcançou um novo recorde nesta segunda-feira (7)
Preço do petróleo alcançou um novo recorde nesta segunda-feira (7) Foto: Christian Hartmann/Reuters

Do CNN Brasil Business

Em São Paulo

Nesta segunda-feira (7), o secretário-geral da Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), Mohammad Sanusi Barkindo, disse que o mundo “enfrenta uma possível ameaça de entrega de petróleo por parte da federação russa”, mas que a Organização “continua oferecendo um fornecimento confiável”.

Barkindo reiterou que o foco da Opep continua sendo o “princípio fundamental” que une os integrantes, o de “sempre tentar manter a estabilidade no mercado global enquanto garantimos a segurança do fornecimento para todos”.

A fala do secretário ocorre no dia em que os preços do barril de petróleo atingiram o nível mais alto desde 2008 nesta segunda-feira (7). O Brent subiu 9,9%, para US$ 129,78 por barril às 20h50 (horário de Brasília), enquanto o petróleo bruto WTI dos EUA subiu 9,4%, para US$ 126,51.

O secretário-geral relembrou que a pandemia foi um momento “sem precedentes” no mercado de energia. “O que trouxe a necessidade de nossos membros tomarem medidas extraordinárias no ano de 2021”.

Barkindo comentou sobre os resultados que a Opep têm atingido por meio das medidas adotadas. “Observamos em 2021 um crescimento no mercado de petróleo e uma recuperação interessante”.

Além disso, ele falou sobre a expectativa do retorno “de cerca de 5,8 milhões de barris por dia ao mercado global” como parte da reposição da queda no número de barris com a pandemia.

O preço da commodity vem sendo impactado desde que a Rússia invadiu a Ucrânia e desencadeou o conflito que ainda persiste no Leste Europeu.