Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Operadoras de turismo registram recorde de viagens em 2021, diz associação

    Mais de 7 milhões de pessoas viajaram com operadoras de turismo no ano passado, número maior que 2019, quando não havia pandemia; 61% dos viajantes escolheram o próprio Brasil como destino

    Agências de viagem se beneficiam com relaxamento de medidas contra Covid-19
    Agências de viagem se beneficiam com relaxamento de medidas contra Covid-19 Tomaz Silva/Agência Brasil

    Lucas Janoneda CNN

    no Rio de Janeiro

    Já sob o relaxamento das medidas contra a Covid-19, os brasileiros viajaram em níveis recordes em 2021. Dados da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa), divulgados nesta sexta-feira (8), mostram que cerca de 7,4 milhões de pessoas embarcaram durante o ano passado, após fechar pacotes com as agências de viagens.

    Segundo o anuário da Braztoa, o número de embarques representa um aumento de 124,6% em relação a 2020. Em valores absolutos, a temporada de 2021 registrou 3,3 milhões de pessoas a mais, frente ao primeiro ano de pandemia do novo coronavírus.

    Os indicadores também foram superiores a momentos anteriores à crise sanitária. Em comparação com 2019, por exemplo, o volume de embarques de 2021 foi 14,2% maior. Em números, a diferença foi de aproximadamente 1 milhão de pessoas.

    Em relação à duração das viagens, os roteiros de média duração (entre 5 e 9 dias) foram os mais escolhidos pelos brasileiros no período. Segundo o levantamento, 61% dos passageiros tiveram como destino final estados brasileiros e o restante preferiu viajar para outros países.

    O presidente da Braztoa, Roberto Haro Nedelciu, explica que a alta procura dos brasileiros pelas viagens está relacionada ao período de restrições sociais durante a pandemia de Covid-19.

    “O embarque doméstico superou todos os valores já registrados, demonstrando que o setor de viagens soube se reinventar e criar novos produtos, além da existência de uma demanda reprimida que já começou a ser sanada e, principalmente, a inclusão de viagens na agenda de interesses e necessidade dos brasileiros”, disse Roberto Haro Nedelciu.

    Apesar do bom número de passageiros, o resultado financeiro das operadoras de turismo ficou aquém dos padrões anteriores à pandemia. Em 2021, os operadores de turismo alcançaram R$ 7,1 bilhões em faturamento, uma recuperação de 77,3% em relação ao ano anterior. No entanto, quando comparado a 2019, esse número fica 44% abaixo do que foi registrado no período (R$ 15,1 bilhões).

    O resultado financeiro aquém, mesmo com um volume recorde de passageiros, é explicado pelas remarcações de viagens durante o primeiro ano da pandemia. Vale ressaltar que ainda existe um volume de viagens que foram compradas antes da pandemia e só puderam ser executadas em 2021.