Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Pesquisa pelo Auxílio Brasil bate recorde em site de busca na internet

    Entre os termos com maior crescimento ao lado de “Auxílio Brasil” no mês de julho estão “calendário agosto de 2022” e “empréstimo”

    De acordo com o cronograma, a previsão é de que a primeira parcela seja efetuava ainda este mês
    De acordo com o cronograma, a previsão é de que a primeira parcela seja efetuava ainda este mês Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

    Camille CoutoIsabelle Resendeda CNN

    no Rio de Janeiro

    O Auxílio Brasil bateu recorde de interesse no site de pesquisa Google durante o mês de julho.

    Em um mês, as buscas pelo benefício saltaram 150% — o que também significa que o interesse mais que dobrou em relação ao mês de julho do ano passado.

    O recorde mensal de interesse havia sido registrado em novembro de 2021, quando o benefício foi criado em agosto começou a ser pago.

    Entre os termos com maior crescimento ao lado de “Auxílio Brasil” no mês de julho estão “calendário agosto de 2022” e “empréstimo”.

    Já a pergunta mais buscada sobre o benefício este ano foi “Como receber o auxílio brasil”. A alta nas pesquisas por essa dúvida foi de 60% em relação ao ano anterior.

    Em 2022, os estados que mais buscam pelo Auxílio Brasil estão nas regiões Nordeste e Norte. Em ordem, os 10 que mais pesquisam são: Maranhão, Piauí, Bahia, Pará, Sergipe, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Amapá e Amazonas.

    Ainda em 2022, o Maranhão chega a buscar cinco vezes mais pelo assunto que Santa Catarina, onde há o menor interesse pelo benefício. O Maranhão busca quatro vezes mais que o Distrito Federal, a segunda UF com menos pesquisas.

    Em entrevista à CNN, o ministro da Cidadania, Ronaldo Bento, disse que o governo federal irá garantir as condições para executar o pagamento do Auxílio Brasil no valor de R$ 600 “o mais rápido possível”.

    De acordo com o cronograma, a previsão é de que a primeira parcela seja efetuava ainda este mês, como prevê o texto da PEC dos Benefícios, aprovada no mês passado pela Câmara dos Deputados.

    O ministro defendeu que a medida foi aprovada graças a uma “parceria com o Congresso Nacional” com o objetivo de “atender as famílias que mais precisam neste momento de crise mundial dos combustíveis e do impacto econômico da pandemia.”