Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Petróleo fecha em alta, com dólar em queda ante rivais

    Tipo Brent para janeiro de 2023 subiu 0,58% nesta terça-feira (25), cotado a US$ 91,74 o barril

    Importações do óleo desde o começo do ano ainda estão 4,3% abaixo de igual período do ano passado
    Importações do óleo desde o começo do ano ainda estão 4,3% abaixo de igual período do ano passado 19/10/2022REUTERS/Angus Mordant/File Photo

    Ilana Cardial, do Estadão Conteúdo

    Os contratos mais líquidos do petróleo fecharam em alta no mercado futuro nesta terça-feira (25). A valorização da commodity se deu diante do enfraquecimento do dólar ante rivais e maior apetite por risco nas negociações. Lembretes de que o mercado de petróleo está apertado seguiram no radar dos investidores.

    O petróleo WTI para dezembro fechou em alta de 0,87% (US$ 0,74), a US$ 85,32 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), enquanto o Brent para janeiro de 2023 subiu 0,58% (US$ 0,53), a US$ 91,74 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE).

    O apetite por risco ajudou a manter o petróleo positivo nesta sessão, com o rali do dólar atingindo uma “parede”, o que deve impulsionar todas as commodities, diz o analista da Oanda Edward Moya. “Os preços do petróleo subiram depois de lembretes constantes que o mercado ainda está apertado.

    O ministro de Energia da Arábia Saudita (o príncipe Abdulaziz bin Salman) notou que eles precisam manter capacidade disponível de petróleo”, exemplificou Oanda.

    O Commerzbank, por sua vez, destaca que entre os dados da China publicados na segunda-feira (24), indicadores de setembro mostraram que o país asiático importou cerca de 9,8 milhões de barris por dia (bpd) – o maior montante em um mês desde maio e cerca de 1 milhão de bpd acima da comparação entre julho e junho.

    Mesmo assim, as importações do óleo desde o começo do ano ainda estão 4,3% abaixo de igual período do ano passado.

    “A última vez que isso aconteceu foi há três anos. De todo o modo, a China deve registrar uma queda nas importações de petróleo pelo segundo ano consecutivo, apesar dos sinais de retomada nos dois meses mais recentes e o fato de que importações mais altas devem vir nos próximos meses”, prevê o banco alemão.

    Operadores aguardam a publicação de dados de estoques de petróleo dos Estados Unidos pelo American Petroleum Institute (API), ao fim desta tarde.