Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Petróleo fecha em alta, com notícias do setor e Powell no radar

    Commodity operava com ganhos logo no início do dia, ainda em meio a especulações sobre a possibilidade de a Opep e aliados cortarem a oferta

    Gabriel Bueno da Costa, do Estadão Conteúdo

    Os contratos futuros de petróleo fecharam com sinal positivo, nesta sexta-feira (26). O noticiário para o setor continuou no radar, com investidores também atentos às perspectivas para a economia global e a política monetária, sobretudo nos Estados Unidos.

    O petróleo WTI para outubro terminou com ganho de 0,58% (US$ 0,52), em US$ 93,06 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para novembro avançou 0,56% (US$ 0,55), a US$ 99,01 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE).

    Na semana, o WTI registrou ganho de 2,90% e o Brent, de 2,37%.

    A commodity operava com ganhos logo no início do dia, ainda em meio a especulações sobre a possibilidade de a Opep e aliados cortarem a oferta.

    A Opep+ se reúne em 5 de setembro.

    Os Emirados Árabes afirmaram que estão alinhados com a visão da Arábia Saudita sobre o mercado, segundo uma fonte citada pela Reuters.

    Representantes de Iraque, Venezuela e Casaquistão também argumentaram a favor dos cortes, segundo a agência.

    Ainda pela manhã, porém, o petróleo passou a recuar.

    O mercado monitora a possibilidade de o Irã e potências fecharem um novo acordo nuclear para o país persa, que significaria mais petróleo iraniano à venda.

    Além disso, o mercado global em geral monitorava o Simpósio de Jackson Hole, do Federal Reserve (Fed, o banco central americano).

    O presidente do Fed, Jerome Powell, reforçou o combate à inflação como prioridade, mesmo reconhecendo que isso terá algum peso na atividade.

    Os temores de fraqueza econômica global à frente têm contribuído para um freio nos preços do petróleo.

    O CIBC comenta que o crescimento menor tem ajudado a conter a demanda pelo petróleo, mas nota alguma reação recente nos preços, com a possibilidade de a Opep+ conter a oferta.

    O TD Securities, por sua vez, vê viés de alta para os preços, no quadro atual, também com a Opep e aliados no radar.

    O banco de investimentos nota que ainda não há notícias de acordo nuclear do Irã à vista, enquanto a produção de xisto nos EUA desacelera.