Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Alta dos combustíveis faz trabalhadores optarem por manter home office, diz pesquisa

    Levantamento, feito em sete países, aponta que 54% dos trabalhadores brasileiros não queiram voltar ao presencial para evitar os custos de locomoção

    No mundo, quase metade dos trabalhadores ouvidos pela pesquisa concorda que a alta no preço dos combustíveis afeta seus planos de voltar ao escritório
    No mundo, quase metade dos trabalhadores ouvidos pela pesquisa concorda que a alta no preço dos combustíveis afeta seus planos de voltar ao escritório Rovena Rosa/Agência Brasil

    Pedro Zanattado CNN Brasil Business

    em São Paulo

    Pesquisa conduzida pela Citrix Systems, empresa que desenvolve tecnologia de espaço de trabalho digita, obtida com exclusividade pelo CNN Brasil Business, aponta que, mesmo com a possibilidade do retorno ao trabalho presencial, 54% dos trabalhadores brasileiros desejam continuar trabalhando em casa para evitar os custos de locomoção.

    Os números mostram a corrosão no poder de compra provocado pelos reajustes nos preços dos combustíveis. Com o resultado, o Brasil aparece na terceira posição do ranking de sete países consultados pela pesquisa. No total, foram consultados 5 mil trabalhadores.

    Segundo a pesquisa, nos Estados Unidos, o número é ainda maior, com 57% dos trabalhadores que desejam continuar com o home office motivados pelo alto custo dos combustíveis, ocupando o primeiro lugar na lista.

    Já no mundo, quase metade dos trabalhadores ouvidos pela pesquisa concorda que a alta no preço dos combustíveis afeta seus planos de voltar ao escritório.

    Além dos Estados Unidos e Brasil, a Austrália aparece na segunda posição, também com 54%. Em quarto lugar está o México (50%), seguido por Colômbia (49%), Reino Unido (45%) e França (44%).

    Auxílio com gastos

    Em outro recorte, a pesquisa revela que 87% dos brasileiros acredita que seus empregadores devem ajudá-los a compensar os custos do trajeto para o escritório quando eles optarem por aumentar seus salários ou fornecer um subsídio para combustível.

    Nesse quesito, país ocupa o segundo lugar do ranking, junto ao México, também com 87%. Em seguida, aparece a França (84%), Colômbia (84%), Estados Unidos (74%), Austrália (68%) e Reino Unido (65%).