Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Principal negócio do Google está desacelerando em meio a temores de recessão

    Alphabet divulgou na terça-feira (25) resultados do 3º trimestre, que ficaram aquém das estimativas de analistas de Wall Street para vendas e lucros

    Google: ações da empresa caíram 6% nas negociações após o expediente na terça-feira após o relatório
    Google: ações da empresa caíram 6% nas negociações após o expediente na terça-feira após o relatório REUTERS/Andrew Kelly

    Clare Duffydo CNN Business

    em Nova York

    O Google pode ser o gigante no mundo da publicidade digital, mas mesmo assim não está imune ao impacto que a crise econômica e os temores de recessão estão causando no mercado de anúncios online.

    A empresa controladora do Google, Alphabet, divulgou na terça-feira (25) resultados do terceiro trimestre que ficaram aquém das estimativas de analistas de Wall Street para vendas e lucros, devido na maioria a uma forte desaceleração no crescimento de seu principal negócio de publicidade.

    A empresa registrou receita de quase US$ 69,1 bilhões, um aumento de apenas 6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

    As receitas de publicidade do Google cresceram apenas 2,5% ano a ano, em comparação com o crescimento de 43% registrado há um ano. O negócio de anúncios do YouTube, que compete com o TikTok, foi especialmente atingido, com a receita caindo quase 2% em relação ao trimestre do ano passado.

    Enquanto isso, o lucro líquido do Google foi de US$ 13,9 bilhões, uma queda de mais de 26% em relação ao ano anterior e bem abaixo dos US$ 16,6 bilhões projetados por analistas.

    As ações da empresa caíram 6% nas negociações após o expediente na terça-feira após o relatório.

    Sundar Pichai, CEO da Alphabet e do Google, acenou para o clima econômico mais difícil em um comunicado incluído nos resultados.

    “Estamos aprimorando nosso foco em um conjunto claro de prioridades de produtos e negócios”, disse Pichai. “Estamos focados em investir com responsabilidade no longo prazo e em responder ao ambiente econômico.”

    Empresas de tecnologia, incluindo o Google, relataram que começaram a sentir o impacto da queda nos gastos com anúncios online no trimestre anterior. Inflação alta, temores de recessão iminente e a guerra em curso na Ucrânia continuaram a pesar sobre a indústria.

    O crescimento em outras áreas de negócios do Google também parece estar diminuindo. A receita do Google Cloud cresceu 37% ano a ano, uma desaceleração do crescimento de quase 45% registrado no mesmo trimestre do ano passado, e o prejuízo líquido do segmento aumentou para US$ 699 milhões, de US$ 644 milhões no mesmo trimestre do ano passado.

    O prejuízo líquido do segmento “Outras Apostas” do Google, que inclui esforços de negócios como sua unidade de carros autônomos Waymo, também acelerou ano a ano durante o trimestre para US$ 1,6 bilhão.

    “O Google teve um trimestre decepcionante, com o gigante das buscas superando nossas expectativas em quase todas as unidades de negócios, principalmente no segmento principal de busca de anúncios”, disse Jesse Cohen, analista sênior do Investing.com.

    Durante uma ligação com analistas na terça-feira, Pichai disse que a empresa começou a “realinhar recursos para investir em nossas maiores oportunidades de crescimento”.

    “No último trimestre, fizemos várias mudanças nos esforços de menor prioridade para alimentar as maiores prioridades de crescimento”, disse Pichai, acrescentando que a empresa planeja reduzir o número de funcionários durante os três últimos meses do ano.

    A CFO do Google, Ruth Porat, disse na teleconferência que o forte crescimento no quarto trimestre de 2021 dificultará as comparações de crescimento de receita de anúncios ano a ano com o trimestre atual, e que a força do dólar americano deve pesar cada vez mais sobre os resultados das empresas.

    A empresa não forneceu perspectivas financeiras detalhadas para o trimestre atual.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original