Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Procon SP dá dicas de como evitar golpes na Black Friday

    Especialista alerta que consumidores precisam ter cuidado redobrado nessa época do ano

    Duda CambraiaGuilherme Gamada CNN

    Em entrevista à CNN, Renata Reis, especialista de Proteção e Defesa do Procon SP, recomenda fazer uma busca minuciosa antes de realizar compras para evitar golpes na Black Friday, que acontece nessa sexta (24).

    Segundo a especialista do Procon, o consumidor deve avaliar alguns aspectos:

    • checar a confiabilidade do fornecedor
    • olhar a segurança do site (indicada pelo HTTPS)
    • ver as redes sociais do fornecedor
    • identificar o CNPJ da empresa nos boletos
    • confirmar o beneficiário do PIX

    “Além disso, ao escolher um produto, é essencial investigar os fornecedores e as plataformas de marketplace. Esse cuidado inicial ajuda a assegurar a regularidade do fornecedor e evita cair em possíveis golpes, como a duplicação de sites de mercados”, alerta a especialista.

    Ao adotar essas precauções desde o início, o consumidor se beneficia de um planejamento sólido, aumentando a segurança e minimizando o risco de ser vítima de fraudes.

    Segundo a especialista, “é essencial que o consumidor esteja atento a esses detalhes para desfrutar de uma Black Friday segura e satisfatória”.

     

    O que fazer se cair em golpe?

    Caso o consumidor tenha levado um golpe mesmo com as precauções, a especialista do Procon alerta que “é crucial registar um boletim de ocorrência”.

    “A responsabilidade solidária torna-se relevante quando há um parceiro comercial confiável no processo. Normalmente, em arranjos de pagamento, como plataformas de pagamento ou cartões de crédito, as empresas são também responsáveis pela garantia, conforme o Código de Defesa do Consumidor”.

    Além disso, caso o consumidor seja vítima de uma fraude, pode reclamar junto ao meio de pagamento, informando que a compra não foi concluída, o prazo de entrega não foi cumprido, a empresa não respondeu, ou o produto entregue foi diferente do pedido.

    Se não houver solução por parte do meio de pagamento, o consumidor pode formalizar uma reclamação no site do Procon.