Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Regiões dos EUA querem boicotar vodcas russas; saiba se medida é possível

    Menos de 1% da vodca consumida nos Estados Unidos é produzida na Rússia

    Russian Standard é uma das poucas marcas de vodca que é realmente russa
    Russian Standard é uma das poucas marcas de vodca que é realmente russa NurPhoto via Getty Images

    Jordan Valinskydo CNN Business

    Nova York

    O álcool de fabricação russa de Nova York é o alvo mais recente da crescente reação contra a invasão da Ucrânia pelo país.

    Até agora, autoridades de Ohio, Utah e New Hampshire pediram às lojas de bebidas que retirem das prateleiras os produtos de fabricação russa ou de marca russa, uma medida que visa em grande parte a vodca, uma vez que está mais associada ao país.

    O governador de Utah, Spencer Cox , solicitou no sábado (26) que as lojas de bebidas estatais “removessem todos os produtos produzidos na Rússia e de marca russa”, explicando que a invasão da Ucrânia pela Rússia é uma “grave violação dos direitos humanos”.

    O governador de New Hampshire, Chris Sununu, fez um anúncio semelhante, também pedindo a remoção de “destilados russos e de marca russa”.

    Esses movimentos são em grande parte simbólicos – e podem até errar o alvo pretendido – já que pouquíssimas marcas importadas para os Estados Unidos ainda produzem o licor na Rússia.

    Muitas das marcas de vodca mais vendidas que têm suas origens na Rússia agora são destiladas em vários outros países – incluindo os Estados Unidos.

    Por exemplo, alguns donos de bares estão protestando contra a invasão despejando Stoli Vodka . O problema é que de russo só tem o nome – que é traduzido livremente como “capital” devido às suas origens em Moscou. A vodca é, na verdade, fabricada na Letônia, e a sede da empresa fica em Luxemburgo – um membro da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) que se manifestou contra a invasão russa.

    Em comunicado ao CNN Business, o Stoli Group disse que “condena inequivocamente a ação militar na Ucrânia e está pronto para apoiar o povo ucraniano, nossas equipes e parceiros”.

    “Durante décadas, o Stoli Group apoiou os marginalizados e aqueles em risco de agressão injustificada. Estamos agora com todos os ucranianos e russos pedindo paz”, disse um porta-voz da empresa.

    Smirnoff é outra marca que está sendo confundida como sendo russa. Embora tenha sua herança na Rússia do século 19, a empresa é de propriedade da gigante britânica de bebidas Diageo e é fabricada em Illinois, nos Estados Unidos.

    O governador de Ohio, Mike DeWine, foi mais direcionado com seu anúncio. Também no sábado, ele pediu às quase 500 lojas de bebidas do estado que “cessem tanto a compra quanto a venda de toda a vodca fabricada pela Russian Standard, a única destilaria de propriedade russa no exterior com vodca vendida em Ohio”.

    A Russian Standard, juntamente com a menos conhecida vodca Green Mark, são uma das poucas marcas de álcool importadas da Rússia e vendidas nos Estados Unidos. Sua ‘empresa-mãe’, a Roust International, é de propriedade de Roustam Tariko, um oligarca russo que também é dono do Russian Standard Bank. A empresa de bebidas alcoólicas não respondeu imediatamente ao pedido de comentário da CNN Business.

    Esses boicotes são em grande parte simbólicos porque a vodca fabricada na Rússia responde por uma porcentagem muito pequena dos cerca de US$ 7 bilhões em vendas anuais dos destilados, de acordo com o Distilled Spirits Council (Discus), uma organização nacional de comércio que representa os fabricantes de destilados.

    Menos de 1% da vodca consumida nos Estados Unidos é produzida na Rússia. Na verdade, mais da metade de toda a vodca consumida no mercado interno é feita nos EUA, de acordo com dados da IWSR Drinks Market Analysis, uma empresa global que rastreia as vendas de álcool.

    A vodca importada da Rússia está em declínio há vários anos e caiu 79% desde 2011, apontou o Discus.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original