Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Senador confirma votação de projetos que tratam de combustíveis

    Um dos projetos cria uma conta de estabilização de custos para os combustíveis; outro altera a cobrança do ICMS, imposto estadual

    Eduardo Rodrigues, do Estadão Conteúdo

    O ministro da Economia, Paulo Guedes, deixou na manhã desta quarta-feira (9) a residência oficial do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), após quase duas horas de reunião sobre os projetos que tratam de combustíveis no Senado e não falou com a imprensa.

    O senador Jean Paul Prates (PT-RN) participou do encontro e confirmou que os dois projetos relatados por ele serão votados na Casa ainda nesta data.

    O senador afirmou que não há alterações nos textos já apresentados por ele. Um dos projetos cria uma conta de estabilização de custos para os combustíveis.

    O outro altera a cobrança do ICMS, imposto estadual, para a saída do combustível da refinaria ou para o recebimento do combustível importado.

    Segundo Prates, não haverá alíquota única para os Estados e cada ente poderá continuar definindo sua alíquota.

    Perguntado sobre os estudos do governo em criar um subsídio temporário para os combustíveis diante da alta internacional do preço do petróleo, o senador respondeu que o tema não foi tratado na reunião com Pacheco e Guedes.

    Logo mais, às 11 horas, Guedes se reúne no Palácio do Planalto com o presidente da República, Jair Bolsonaro, para seguir discutindo a crise dos combustíveis.

    O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, também participam do encontro no Planalto.