Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Tesla é denunciada por alegações enganosas sobre piloto automático e autocondução

    Queixa foi apresentada pelo Departamento de Veículos Motorizados da Califórnia; empresa tem 15 dias para responder à reclamação

    Ramishah Marufda CNN

    As reivindicações de piloto automático e de direção autônoma da Tesla estão sendo questionadas novamente, desta vez pelo Departamento de Veículos Motorizados da Califórnia em uma queixa apresentada no dia 28 de julho.

    A reclamação alega que a empresa fez declarações “inverídicas ou enganosas” em anúncios em seu site, alegando que os veículos da Tesla estavam ou poderiam estar equipados com recursos avançados do sistema de assistência ao motorista.

    Os anúncios da Tesla foram veiculados em materiais de marketing no site da empresa “em pelo menos cinco datas” entre maio de 2021 e julho de 2022, segundo a denúncia.

    Eles incluíram descrições como “piloto automático” e “capacidade total de condução autônoma” e usaram palavras como “tudo o que você precisa fazer é entrar e dizer ao seu carro para onde ir… seu Tesla descobrirá a rota ideal, navegando em ruas urbanas, cruzamentos complexos e rodovias”, disse o processo.

    Outra alegação que o DMV da Califórnia diz ser enganosa dizia: “O sistema foi projetado para ser capaz de realizar viagens de curta e longa distância sem a necessidade de ação da pessoa no banco do motorista”.

    “Esses anúncios são uma prática enganosa” sob o Código Civil da Califórnia, disse a queixa do DMV. A Tesla normalmente não responde a pedidos de comentários.

    A empresa publicou avisos de isenção de responsabilidade até junho, alertando que os recursos ainda exigem supervisão ativa do motorista, o que contradiz os “rótulos e reivindicações enganosos”, acrescentou a queixa.

    As ações de publicidade da companhia podem fazer com que ela perca temporariamente sua licença de fabricante e número de placas especiais na Califórnia, alertou a reclamação.

    Dados divulgados em junho pela Administração Nacional de Segurança no Tráfego Rodoviário descobriram que houve 273 acidentes nos últimos nove meses envolvendo tecnologias de assistência ao motorista da Tesla, causadas por seu software de “condução autônoma completa” ou seu precursor, Tesla Autopilot.

    Do total de 497 acidentes estudados pela NHTSA, 43% daqueles causados ​​por tecnologias de assistência ao motorista ocorreram na Califórnia, segundo os dados.

    O recurso “Autopilot” da Tesla é padrão em todos os seus veículos, tornando-o um dos sistemas de piloto automático mais usados ​​do setor. Enquanto a empresa lembra os motoristas de ficarem alerta enquanto o usam, um estudo do MIT de 2021 revelou que os usuários que utilizaram o sistema estavam mais distraídos e desviavam o olhar da estrada com mais frequência do que quando dirigiam sem o recurso.

    A Tesla tem 15 dias para responder à reclamação para evitar uma decisão por omissão. O departamento disse que esta reclamação é separada de uma revisão contínua do design pretendido e das capacidades tecnológicas dos veículos.O Los Angeles Times foi o primeiro meio de comunicação a relatar a queixa.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original