Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Vale coloca o Brasil em primeiro entre os emergentes que mais pagam dividendos

    Mineradora é a maior empresa brasileira pagadora de dividendos no 1º trimestre de 2022, em 9º no ranking mundial

    Acionistas da mineradora receberam US$ 3,6 bilhões
    Acionistas da mineradora receberam US$ 3,6 bilhões 07/08/2017REUTERS/Ricardo Moraes

    Artur Nicocelido CNN Brasil Business

    em São Paulo

    A mineradora Vale colocou o Brasil em primeiro lugar entre os países emergentes que mais pagaram dividendos aos investidores, aponta estudo feito pelo grupo britânico de gestão de ativos globais Janus Henderson.

    A companhia foi a maior empresa brasileira a pagar dividendos no 1º trimestre de 2022 e ficou em 9º lugar no ranking mundial. Os acionistas da mineradora receberam US$ 3,6 bilhões.

    O montante recebido pelos investidores foi menor que o captado no mesmo período de 2021, de US$ 4 bilhões. Porém, a queda não foi suficiente para tirar a Vale da lista, que ficou acima de companhias pagadoras de dividendos como Astrazeneca, PepsiCo e JPMorgan.

    O levantamento da Janus Henderson também apontou que os dividendos brasileiros subiram 7,4% em relação ao mesmo período do ano passado. O movimento é resultado dos pagamentos realizados pela Ambev, que distribuiu US$ 1,2 bilhão no 1º trimestre deste ano.

    As empresas brasileiras também colaboraram para que a distribuição de dividendos em países emergentes tivesse alta de 45% no 1º trimestre, se comparado com o ano anterior.

    No trimestre, o Brasil pagou US$ 5,2 bilhões.

    Dividendos globais

    De acordo com Jane Shoemake, gerente de carteira de clientes da Janus Henderson, os dividendos globais tiveram um bom desempenho no começo de 2022, acima do que ela esperava. Ela aponta que os principais responsáveis pelo resultado são as companhias que trabalham com petróleo e minério de ferro.

    Na totalidade, as companhias ao redor do mundo pagaram US$ 302,5 bilhões em dividendos.

    Contudo, as expectativas não são tão positivas. Embora o 1º trimestre tenha apresentado bons números, Jane aumentou sua previsão para o resto do ano em apenas 1,3%. A analista explicou que o efeito que impulsionou o primeiro trimestre deste ano frente o ano anterior foi o arrefecimento da pandemia “e desaparecerá à medida que o ano avança”.

    Além disso, ela ressalta que a economia mundial está atualmente assolada por uma série de desafios: a guerra na Ucrânia, tensões geopolíticas crescentes, altos preços de energia e commodities, inflação rápida e um ambiente de taxas de juros crescentes.

    “A pressão descendente resultante sobre o crescimento econômico afetará os lucros das empresas em vários setores”. Vale destacar que o dividendo é uma parcela do lucro das companhias oferecida aos acionistas que pode ser paga de forma mensal, trimestral ou semestral.

    Dessa forma, para 2022, a companhia espera que os dividendos globais atinjam US$ 1,54 trilhão, aumento de 4,6%, equivalente a um aumento de 7,1% em uma base subjacente.

    As melhores pagadoras de dividendos no mundo:

    1. BHP;
    2. Novartis;
    3. A.P. Moller;
    4. Roche Holding;
    5. Microsoft;
    6. Siemens;
    7. Exxon Mobil;
    8. AT&T;
    9. Vale;
    10. Apple

    Os setores que se destacaram:

    • Financeiro – US$ 48 bilhões;
    • Cuidados com a saúde e farmácias – US$ 43,4 bilhões;
    • Matérias-primas – US$ 30,7 bilhões;
    • Indústrias – US$ 29,7 bilhões;
    • Tecnologia – US$ 28 bilhões;
    • Petróleo, gás e energia – US$ 26,5 bilhões;
    • Consumidor básico – US$ 24,6 bilhões;
    • Serviços de utilidade pública – US$ 14,7 bilhões
    • Comunicação e mídia – US$ 12,6 bilhões;
    • Consumo discricionário – US$ 10,1 bilhões